Tempo
|
A+ / A-

Bruxelas quer impedir fabrico brinquedos com químicos tóxicos

28 jul, 2023 - 15:00 • Lusa

A revisão das regras é possível pela aplicação "de tecnologias digitais que permitem uma deteção mais fácil de brinquedos perigosos".

A+ / A-

A Comissão Europeia apresentou, esta sexta-feira, uma proposta de revisão para alterar as regras de proteção das crianças contra brinquedos potencialmente perigosos, particularmente a utilização de substâncias químicas tóxicas para os fabricar.

Citado em comunicado, o comissário europeu para o Mercado Interno, Thierry Breton, considerou que a proposta apresentada "vai assegurar que as crianças estão ainda mais protegidas quando manusearem brinquedos, até de químicos prejudiciais".

A revisão das regras é possível pela aplicação "de tecnologias digitais que permitem uma deteção mais fácil de brinquedos perigosos".

Com a proposta da Comissão, os brinquedos fabricados dentro e fora da União Europeia (UE) têm de cumprir requisitos estabelecidos para que possam circular nos mercados dos Estados-membros.

Bruxelas quer proibir a circulação de brinquedos fabricados com químicos que prejudiquem os sistemas endócrino e o respiratório ou que sejam tóxicos para órgãos específicos.

A proposta inclui também a criação de um passaporte de produto digital, que demonstre que um determinado brinquedo está de acordo com os parâmetros europeus.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+