A+ / A-

PSP do Porto

Agentes da polícia suspeitos de tráfico de droga ficam em prisão preventiva

24 jul, 2023 - 12:33 • Lusa

Operação decorreu de investigação sobre crimes de tráfico de estupefacientes, peculato e prevaricação e em cumprimento de mandados de detenção fora de flagrante delito.

A+ / A-

Os três polícias do Comando Metropolitano do Porto detidos, na quinta-feira, por suspeitas de tráfico de droga, peculato e prevaricação ficaram em prisão preventiva, após terem sido ouvidos em primeiro interrogatório judicial, revelou nesta segunda-feira fonte policial.

Os três suspeitos começaram a ser ouvidos no Tribunal de Instrução Criminal (TIC) do Porto ainda sexta-feira, ao final do dia, e prosseguiram no sábado, tendo os detidos ficado sujeitos à medida de coação mais gravosa, a prisão preventiva, revelou fonte judicial à Lusa.

Os detidos foram transportados para o Estabelecimento Prisional de Évora.

Os três polícias, que exerciam funções no Comando Metropolitano do Porto, foram detidos na quinta-feira pela PSP, por suspeitas de tráfico de droga, peculato e prevaricação, na sequência de uma investigação que culminou com três buscas domiciliárias.

De acordo com PSP, esta operação decorreu "de uma investigação sobre os crimes de tráfico de estupefacientes, peculato e prevaricação, e em cumprimento de mandados de detenção fora de flagrante delito".

A PSP determinou de imediato a instauração de procedimento disciplinar.

No comunicado, esta polícia não especifica onde trabalham estes três polícias, mas o diário Correio da Manhã escrevia na quinta-feira que os três detidos pertenciam às Equipas de Intervenção Rápida da PSP do Porto e que a investigação é liderada pela Divisão de Investigação Criminal (DIC).


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+