Tempo
|
A+ / A-

Diretores e pais contestam recolha obrigatória de manuais escolares de 3.º e 4.º anos

07 jul, 2023 - 11:08 • Hugo Monteiro , Pedro Valente Lima

Diretores das escolas e encarregados de educação falam em "ameaças" e "sanções" caso os livros não sejam devolvidos ou não estejam em condições de reutilização. ANDAEP e CONFAP pedem esclarecimentos ao Ministério da Educação.

A+ / A-

Os diretores de escolas estão contra a obrigatoriedade de entrega dos manuais escolares do 3.º e 4º anos, com o intuito último de serem reutilizados.

Em declarações à Renascença, Filinto Lima, presidente da Associação de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), fala de uma medida "desnecessária", uma vez que ora os manuais não estão em condições de reutilização.

"Eu pergunto como é que se pode usar um manual escolar, neste caso em concreto do 3.º ano, onde tem espaços em que os alunos escreveram, em que os alunos coloriram desenhos, onde tem folhas que devem ser recortadas, onde tem espaço onde os alunos colam autocolantes."

No caso dos livros do 4.º ano, Filinto Lima também diz não compreender a decisão, uma vez que, "no próximo ano letivo, os manuais do 4.º ano vão ser novos". "Portanto, era desnecessário serem obrigados a entregar os manuais escolares para as escolas colocarem em stock."

O presidente da ANDAEP admite que "os diretores têm dúvidas, os pais têm imensas dúvidas" e pede esclarecimentos ao ministério da Educação. Contudo, em vez de explicações, os diretores têm recebido "ameaças" da Inspeção-Geral da Educação e da Ciência.

"Isto é inadmissível. Ameaças com auditorias, ameaças eventualmente com processos disciplinares, ameaças se não forem recolhidos os manuais, se os pais não pagarem aquilo que têm de pagar na devida altura, mas não é isso que nós queremos. Nós não precisamos de ameaças, precisamos que isto seja esclarecido."

"As famílias estão um pouco revoltadas e estupefactas"

Também a Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP) pede esclarecimentos ao Governo sobre esta entrega obrigatória de manuais escolares do 3.º e 4.º anos. A presidente da CONFAP diz ter indicações contraditórias sobre a matéria: "Em vez de ser uma comunicação completamente clara, ainda há aqui algumas nuances que podem provocar dúvidas de interpretação".

À Renascença, Mariana Carvalho diz que tem falado com "vários interlocutores" para obter explicações, num momento em que já "há famílias que foram avisadas, no dia 28 e 29 de junho, entregarem os manuais no dia 4" de julho - e já com as páginas limpas.

Questiona, por isso, "como é que é possível as famílias conseguirem entregar os manuais dos seus filhos, quando os levantaram, no início do ano letivo, sem saber que iam ter de os entregar". "As famílias estão um pouco revoltadas e estupefatas. Agora já não vão a tempo."

Tal como a ANDAEP mencionou, a CONFAP alertou o Ministério da Educação para "os manuais que estão escritos, pintados e, portanto, sem condições de reutilização".

"Informalmente, o próprio ministro da Educação esclareceu que esta seria uma boa utilização. Seria uma utilização normal e, portanto, as famílias não seriam prejudicadas. Fizemos um pedido de esclarecimento e informalmente, com o gabinete do Ministério da Educação a informar que pode haver, de facto, sanções" se os manuais não estiverem em condições de reutilização.

A Renascença já contactou o Ministério da Educação e aguarda esclarecimentos sobre a questão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sandra Bezerra
    10 jul, 2023 Vila de Punhe - Viana do Castelo 22:38
    Venho apresentar o meu descontentamento perante toda esta '' palhaçada'' em 1.°lugar à que criar as condições necessárias para fazer a reutilização dos manuais (medidas tomadas por pessoas supostamente mais inteligentes que eu, mas sem pensarem em nada, simplesmente deitado para o ar) tem alguma lógica reutilizar manuais onde os meninos/as têm que escrever, pintar, desenhar, colar autocolantes vindos nos mesmos, onde existem destacáveis para fazerem figuras... onde por vezes os professores fazem correções a esferográfica, como diga-me como é possível apagar para outros poderem reutilizar 😂 deixem-me rir... Para ficarem bem vistos no início do ano letivo vêm com os voucher's (educação gratuita) e no final vêm cobrar-nos o que sabem que é impossível. A meu ver havia uma solução mas fácil e digna para com as crianças que era fazerem os manuais escolares só para consultar/ler/textos... e à parte tudo que é fichas, aí sim pensariam em reutilizar, nesta situação acho que não haverá condições para as crianças aprenderem, simplesmente se vão limitar a copiar! Eu fiz o que me competia, apaguei todos os manuais da minha filha, mas não há milagres, ainda não consigo apagar decalque de lápis e não tenciono pagá-los, porque não foi o que tinham informado, e que não ameaçem com não ter direito aos próximos voucher's. 😡
  • Cristina flores
    10 jul, 2023 Leiria 08:16
    É uma verdadeira vergonha. Já agora se os querem apagados porque não é efectuado isso na própria escola nos últimos dias de aulas. Além disso são os próprios professores que os incentivam a escrever nos manuais. Vergonhoso, pagamos uma fortuna de impostos, e somos "ameaçados"?
  • Rute Araújo
    09 jul, 2023 Lisboa 16:01
    Manifesto a minha total incredulidade com tal facto: - no início do ano enviaram informação a dizer que os manuais eram dos alunos ( sim tenho email a provar enviado pelo mega para agrupamento) - agora depois de alunos, pais e professores basearem a sua utilização nisso decidem mudar É desleal, desonesto e mostra má fé! Além de claro, ser ridículo dado serem livros que têm autocolantes e na realidade pouco ou nada poderem ser reutilizado
  • Keidy Regina Costa
    09 jul, 2023 Vila Nova De Gaia 11:53
    Aos senhores de direito a receber essa mensagem, deixo aqui minha indignação, com o fato da retoma da devolução dos manuais escolares do 1° ciclo, não pelo fato em si, mas pela altura que isso se deu... Sei da importância da reutilização, já que todos somos beneficiados em termos económicos e ambientais, mas penso que a altura correta para oficializar essa retoma, dever-se-ia ao início do ano letivo e, não ao término deste, sendo assim ao meu ver, uma decisão desrrepeitosa para com a população. Sem mais comentários, só resta a indignação de uma mãe, entre muitas que sente-se da mesma forma.
  • Carlos de Sousa
    07 jul, 2023 Montijo 11:01
    Este é apenas mais um sinal do descontrolo, da desorientação dos nossos governantes! É inadmissível que os pais (como eu) tenham de devolver os manuais dos seus educandos, quando no início do ano lectivo anterior, não existia esta permissa! É mudar as regras do "jogo" durante o mesmo, e ainda "ameaçar" com sanções por incumprimento!!! Fui informado pela professora e por e-mail na noite do passado domingo, para proceder á devolução dos manuais, na próxima segunda feira sem falta. No caso, fui informado que teria de os devolver tal como estão (escritos, pintados, desenhados, com autocolantes...). Para que servirão estes manuais? Só se for para reciclar o papel! Se assim não for, não consigo entender o porquê desta decisão completamente despropositada! Parece-me que haverá mais um volte-face, e a decisão será revertida. Quanto a mim, faço questão de não apagar o quer que seja dos manuais, nego-me a a pagar qualquer "multa", ou a ficar impossibilitado de ter manuais gratuitos para o próximo ano lectivo. Devemos mostrar o nosso desagrado a quem de direito (que não as escolas), protestando de forma construtiva!

Destaques V+