A+ / A-

Medina admite corrigir tabelas de IRS de contribuintes com filhos portadores de deficiência

28 jun, 2023 - 20:18 • Fátima Casanova com Redação

O Governo tem dito que o objetivo das novas tabelas de retenção na fonte é aliviar a carga fiscal. No entanto, a DECO PROTESTE refere que as famílias com portadores de deficiência "viam o seu salário mensal líquido inferior por comparação com o primeiro semestre".

A+ / A-

O ministro das Finanças admitiu esta quarta-feira corrigir as tabelas de IRS dos contribuintes com filhos portadores de deficiência.

É a primeira vez que o Governo aborda este assunto. Durante uma audição no Parlamento, Fernando Medina admitiu fazer contas, garantindo que se houver necessidade, será feita a retificação no novo regime de retenção na fonte que entra em vigor agora em julho.

O Governo tem dito que o objetivo das novas tabelas de retenção na fonte é aliviar a carga fiscal.

No entanto, à Renascença, a especialista da DECO PROTESTE Soraia Leite refere que as famílias com portadores de deficiência "viam o seu salário mensal líquido inferior por comparação com o primeiro semestre".

"Com a aplicação das tabelas, passaria a auferir menos 63 euros", relata.

A especialista defende que seria fácil repor a justiça fiscal.

"Poderia facilmente ser corrigido. Estamos a falar de um problema circunscrito à parcela a abater. Uma mãe solteira com um filho com uma deficiência superior a 60% abate 34,29 euros, o que se somam 84,82 euros. Este cálculo, para resultar num valor mensal mais elevado, a última parcela devia ser superior", explica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+