Tempo
|
A+ / A-

Ranking das Escolas 2022

O que nos ensina o ranking das escolas? Que 70% das notas 20 são a Matemática

19 jun, 2023 - 12:21 • Diogo Camilo , Salomé Esteves

Da melhor escola à pior do país estão centenas de histórias e curiosidades. Nas públicas e nas privadas, dos exames de Português aos de Matemática, que curiosidades estão por trás dos números do ranking?

A+ / A-

Veja também:


Todos os anos se analisam as notas, a média, o sucesso e os contextos de alunos do ensino público e privado, do básico e do secundário. E todos os anos se faz a mesma pergunta: para quem servem os rankings? Ainda que não possamos saber a reposta, porque apenas olhamos para os números para os poder transformar em histórias e dar a conhecer as pessoas que estão por trás, podemos partilhar o que este ano trouxe de novo.

Portanto, aqui estão as 25 coisas que aprendemos com o Ranking das Escolas 2022:

Maiores Curiosidades

  • A melhor e a pior escola de Lisboa ficam a 250 metros de distância uma da outra. São a 6.ª melhor e a 4.ª pior do país e ambas são privadas.
  • O 1.º, o 2.º e o 4.º do ranking ficam num raio de 5 quilómetros (Grande Colégio Universal, Colégio Efanor e Nossa Senhora do Rosário).
  • Oito dos 12 primeiros classificados do ranking do 9.º ano ficam num raio de 10 km no Grande Porto.

Histórico

  • 12 escolas privadas que, nos últimos doze anos, estiveram mais do que cinco vezes nos primeiros dez lugares. A Escola da Nossa Senhora do Rosário esteve todos os anos do top e oito vezes em primeiro lugar. Nesta lista, está a escola mais cara do país, mas também a segunda privada mais barata.
  • O Colégio da Nossa Senhora do Rosário, no Porto, ocupa o 4.º lugar tanto no ranking do 12.º como do 9.º ano.

Ranking para as Artes Visuais

  • O contexto socioeconómico de uma escola é menos impactante para a sua posição no Ranking das Artes Visuais do que no Ranking Geral. A Escola Secundária de Caldas de Taipas, em Guimarães está em 246.º lugar no ranking geral e, com o mesmo número de provas, superou os Salesianos de Lisboa nas Artes Visuais, que estão em 7.º lugar na lista geral.
  • A escola Alves Martins, que ficou em primeiro lugar no ranking das Artes Visuais, foi a melhor escola do Ranking das Escolas 2021 da Renascença.
  • Nos rankings que contam as provas de Geometria Descritiva, História da Cultura das Artes e Desenho, as duas escolas artísticas portuguesas, a António Arroio e a Soares dos Reis já foram classificadas como as melhores escolas públicas.

Distâncias no Ranking

  • A distância entre os 10 primeiros do ranking do ensino secundário (1,3 valores) é a mesma que entre o 10.º e 30.º da tabela.
  • A diferença entre o 1.º e o 50.º lugares do ranking é maior do que a diferença entre o 50.º e o 450.º. Apenas 11 das primeiras 50 escolas são públicas. No segundo grupo, há apenas 26 escolas privadas.
  • Três escolas tiveram a mesma média do ano passado: a Escola Secundária de Benavente, a Escola Secundária de Palmela e a Escola Secundária Homem Cristo, em Aveiro.

Concelhos e Distritos

  • Além de ter a melhor escola pública no secundário, Vouzela é o concelho com a média mais alta nos exames, à frente de Trofa, de Oliveira de Frades e do Porto.
  • Nos distritos, os melhores foram Porto, Viana do Castelo e Braga. O pior foi Portalegre.

Notas do 12.º ano

  • Nos exames do secundário, a escola que recolheu mais 20’s foi o Externato Ribadouro, no Porto (82). Foi também a que teve mais alunos com classificação máxima de 20,0. Das 24 notas máximas, 18 foram a Matemática.
  • A Escola Secundária Alves Martins, em Viseu, foi a segunda escola com mais 20’s (74) e a segunda com mais alunos com classificação máxima de 20,0. Foram 14 os alunos que tiveram a nota máxima nos exames.
  • Matemática foi a prova com mais 20,0, mas também a prova com mais 0,0. 340 alunos tiveram a nota máxima e 158, a nota mínima. A Português, só oito alunos tiveram 20.
  • 70% dos 20’s nas provas do Ranking da Renascença foram a Matemática.
  • No ensino privado, uma em cada três notas internas foram um 19 ou um 20, as classificações finais mais habituais. No público, as notas mais frequentes foram o 16 e o 17.
  • Em Educação Física, um em cada quatro alunos de colégios teve 20. A Inglês, quase metade dos alunos acabou a disciplina com 20.
  • A Matemática, a nota mais habitual no ensino público foi um 10, enquanto no ensino público foi um 19.

Exame 9.º ano

  • O Grande Colégio Universal seria o líder também no ranking de 9.º ano, se tivessem sido realizadas mais quatro provas.
  • Das 1.228 escolas que fizeram provas, mais de metade tiveram média negativa nos exames.
  • A Português, 374 escolas tiveram média abaixo dos 50%, a Matemática, foram 866.

Rapazes e Raparigas

  • Embora nos exames tenham superado as raparigas a História, Geografia e Economia, nas médias internas de 42 diferentes disciplinas do secundário, os rapazes só foram melhores que raparigas em duas: Educação Física e Geometria Descritiva.
  • Os rapazes superam as raparigas na Educação Física em um valor. Mas as raparigas batem os rapazes por mais de um valor em 14 disciplinas, incluindo Biologia, Química, Física e Desenho.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+