A+ / A-

Detido suspeito de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência em Pombal

16 jun, 2023 - 16:49 • Lusa

Os abusos terão ocorrido na casa da vítima e na casa do suspeito.

A+ / A-

Um homem de 62 anos foi detido no concelho de Pombal suspeito do crime de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência de que foi vítima uma sua familiar, de 44 anos, anunciou esta sexta-feira a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, a PJ informa que, através da Diretoria do Centro e em cumprimento de mandado de detenção emitido pelo Ministério Público de Leiria, deteve um homem pela presumível prática, reiterada, de crimes de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência.

"Os factos ocorreram num contexto de proximidade familiar, tendo o arguido aproveitado o facto de a vítima padecer de doença de foro mental, o que a torna incapaz de se determinar sexualmente", refere a PJ.

Fonte da PJ disse à agência Lusa que "o detido é primo da vítima, que tem doença do foro mental grave", tendo os factos que desencadearam a investigação ocorrido em meados de março.

"Foi o comportamento do suspeito e da vítima quando estavam em casa que levantou suspeitas" a um familiar que "contou ao irmão da mulher", explicou a mesma fonte.

O responsável referiu que a situação foi comunicada à Guarda Nacional Republicana, tendo a investigação transitado para a PJ.

"A vítima tem dificuldade em exprimir-se, mas foi possível perceber que o arguido abusou sexualmente dela", adiantou, referindo existir "a forte possibilidade de os abusos terem começado no início do ano, mas a dificuldade de a vítima comunicar não permitiu à PJ aferir".

Os abusos terão ocorrido na casa da vítima e na casa do suspeito, que "são vizinhos", acrescentou a fonte.

O homem foi detido na quinta-feira e vai ser presente a primeiro interrogatório judicial, para a eventual aplicação de outras medidas de coação.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+