Tempo
|
A+ / A-

Exploração de lítio. Autarca de Boticas admite recorrer da decisão da APA

31 mai, 2023 - 11:18 • Isabel Pacheco , com Pedro Valente Lima

Fernando Queiroga diz ser essa a "vontade" da câmara transmontana, que se encontra a estudar a melhor alternativa para interpor recurso. Presidente da Câmara de Boticas revela ainda preocupação com fiscalização do projeto.

A+ / A-

O autarca de Boticas admite recorrer da decisão da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) que permite a exploração de lítio na mina do Barroso.

À Renascença, Fernando Queiroga afirma que a Câmara de Boticas tem "a possibilidade [de interpor] recursos para instâncias nacionais ou internacionais". "A vontade é fazê-lo", mas ainda vai estudar como avançar nesse para o recurso.

"Vou reunir com a junta de freguesia, com o conselho diretivo e com as equipas que nos assessoraram neste processo e ver qual é a melhor forma de o fazer."

O presidente da Câmara sublinha que a maior preocupação passa pela fiscalização dos "condicionalismos" impostos pela APA sobre um "investimento destes, tão impactante para o concelho e para o território".

"Nós sabemos que as nossas instituições, quer a APA, quer a DGEG, quer outros organismos, não fiscalizam coisa nenhuma. Aqui a Câmara de Boticas vai ter de ter um papel mais interventivo, mais fiscalizador."

A interdição da captação de água do rio Covas, a criação de um acesso à Autoestrada 24 e a locação de "royalities" ao município são algumas das exigências impostas pela APA, que esta quarta-feira deu um parecer favorável à exploração de lítio no concelho de Boticas.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+