Tempo
|
A+ / A-

Governo aprova Plano de Saúde 2030 para promover acesso e reduzir riscos

11 mai, 2023 - 16:02 • Lusa

Plano centra a ação do Estado em cinco prioridades com vista à promoção do acesso aos cuidados de saúde e redução de riscos.

A+ / A-

O Governo aprovou esta quinta-feira o Plano Nacional de Saúde 2030, que centra a ação do Estado em cinco prioridades com vista à promoção do acesso aos cuidados de saúde e redução de riscos.

"Aprovámos hoje o Plano Nacional de Saúde 2030, com cinco desígnios, depois de um debate público muito participado: Reduzir as desigualdades em saúde; promover o desenvolvimento de comportamentos, culturas e comunidades saudáveis; minimização das consequências das alterações climáticas e outros determinantes ambientais da saúde; redução da carga de doenças transmissíveis e não transmissíveis; e manter sob controlo problemas de saúde atualmente já controlados", referiu Manuel Pizarro.

Em conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, Manuel Pizarro salientou também que o documento hoje aprovado identifica "15 objetivos estratégicos", entre os quais a promoção da equidade e da literacia em saúde, a promoção da paz, da justiça e da prosperidade, a dinamização de parcerias em todos os setores e de ambientes promotores de saúde.

Manuel Pizarro elencou igualmente entre os objetivos a preocupação com o envelhecimento ativo e saudável, os cuidados ambientais e respetiva vigilância dos riscos associados, o controlo dos problemas de saúde transmitidos pela água, o reforço da sustentabilidade dos cuidados de saúde e a garantia de preparação de uma resposta a emergências de saúde pública.

Sobre este plano, o governante realçou também que o Executivo espera ver reforçado o acesso aos cuidados de saúde - com enfoque nas áreas da saúde sexual, reprodutiva, materna e infantil de qualidade -- e a manutenção dos elevados níveis de cobertura vacinal registados em Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+