Tempo
|
A+ / A-

Assédio. Ministério do Ensino Superior pede que se evitem “julgamentos precipitados”

14 abr, 2023 - 10:11 • Isabel Pacheco

A ministra Elvira Fortunato promete penalizar responsáveis e pede serenidade até à conclusão das investigações.

A+ / A-

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior pede “seriedade” e “serenidade” e que se evitem “julgamentos precipitados”.

O apelo foi deixado, esta sexta-feira, em comunicado pelo ministério tutelado por Elvira Fortunato na sequência das notícias que dão conta de “eventuais casos de assédio moral e sexual” na Universidade de Coimbra.

“A importância do assunto e o respeito pelos seus intervenientes requer que este seja tratado com a seriedade e serenidade adequadas, evitando-se julgamentos precipitados e sem fundamentação de provas”, pode-se ler no comunicado.

Na nota enviada às redações, o ministério do Ensino Superior garante, ainda, que “não recebeu qualquer queixa de assédio moral e sexual” e promete penalizar os responsáveis, caso se confirmem as suspeitas.

“O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior aguarda, no entanto, o desenrolar e as conclusões de processos de acompanhamento e de investigação que possam vir a ser iniciados no sentido de apurar a verdade e, caso se confirmem as suspeitas suscitadas, penalizar eventuais responsáveis por práticas e comportamentos contrários ao espírito que deve pautar as instituições”, refere.

O sociólogo Boaventura de Sousa Santos e o antropólogo Bruno Sena Martins foram esta semana acusados de assédio sexual por três investigadoras do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra.

As acusações das agora ex-alunas do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra foram, entretanto, negadas por parte do diretor emérito Boaventura Sousa Santos de 82 anos e do professor Bruno Sena Martins.

AS denuncias estão a ser investigadas pelo Centro de Estudos Sociais de Coimbra que, em comunicado, garante estar “comprometido com o tratamento diligente deste tipo de ocorrências”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+