Tempo
|
A+ / A-

Após suspensão, Boaventura anuncia saída do CES

14 abr, 2023 - 20:16 • Redação

Comunicado surge poucas horas depois do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra ter anunciado a suspensão do docente acusado de assédio sexual.

A+ / A-

Em comunicado, Boaventura de Sousa Santos anunciou, esta sexta-feira, a decisão de se afastar das atividades do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra.

“Tal decisão tem o objetivo de garantir que a instituição possa fazer, com toda a independência que necessária, as averiguações das informações apresentadas e dar consequência ao processo de apuração interna a partir da comissão independente estabelecida, sem que haja qualquer interferência de qualquer parte”, justificou.

Esta notícia surge poucas horas depois do CES ter anunciado a suspensão do docente acusado de assédio sexual.

Em comunicado na sua página, o CES revelou que foi constituída uma comissão independente para averiguar os casos e refere que "durante este processo e até ao apuramento de conclusões", Boaventura de Sousa Santos e Bruno Sena Martins "se encontram suspensos de todos os cargos que ocupavam".

O CES disse ainda que se demarca "de todas as posições assumidas publicamente por Boaventura de Sousa Santos e Bruno Sena Martins", em referência à intenção de avançar judicialmente contra as autoras do capítulo do livro 'Sexual Misconduct in Academia – Informing an Ethics of Care in the University'.

Boaventura de Sousa Santos era atualmente diretor emérito do CES e Coordenador Científico do Observatório Permanente da Justiça Portuguesa, enquanto Bruno Sena Martins é investigador.

O sociólogo e professor catedrático foi visado num artigo em que de usar o seu poder sobre jovens estudantes e investigadoras para "extrativismo sexual".

As autoras do artigo, a belga Lieselotte Viaene, a portuguesa Catarina Laranjeiro e a norte-americana Myie Nadya Tom, estiveram no CES como, respetivamente, investigadora de pós-doutoramento (com uma bolsa Marie Curie) e estudantes de doutoramento.

As agora ex-alunas do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra alegam terem sido vítimas de assédio sexual e moral. As investigadoras, uma portuguesa e duas estrangeiras, relatam através da obra os episódios vividos, desde toques nos joelhos a convites como troca de ajuda académica. O artigo do livro acusa também a instituição de silenciamento e cumplicidade.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Armando Gomes
    15 abr, 2023 Espinho 12:14
    Critérios ? E quais são os critérios de quem faz as noticias tendenciosas ? Depende da origem da notícia. Coitado de quem cai na garra dos raivosos. Relativamente ao caso em apreço do prof. Boaventura, alguém já pensou friamente sobre o assunto. Assediou ? Não foi assediado nunca ? Eu não sei, não o conheço e sinceramente não vou dar muito para este peditório, mas já passei por tanto na vida !

Destaques V+