A+ / A-

Manifestação em Lisboa. Milhares de professores esperados na rua

11 fev, 2023 - 08:01 • Cristina Nascimento

Manifestação convocada pela Fenprof está agendada este sábado à tarde, em Lisboa. O desfile começa no Marquês de Pombal.

A+ / A-
 Foto: Tiago Petinga/Lusa
Foto: Tiago Petinga/Lusa
Foto: Paulo Novais/Lusa
Foto: Paulo Novais/Lusa
Foto: Ana Fernandes Silva/RR
Foto: Ana Fernandes Silva/RR
Foto: Paulo Cunha/Lusa
Foto: Paulo Cunha/Lusa

Os professores voltam às ruas este sábado. A partir das 15h00 são esperadas milhares de pessoas no Marquês de Pombal, em Lisboa. A manifestação acontece depois de um período de greve entre 16 de janeiro e 8 de fevereiro que percorreu todo o país.

Dezoito distritos, 18 dias de greve, numa ronda por todo o país que, segundo a Federação Nacional de Professores (Fenprof), manteve sempre uma alta taxa de adesão, a rondar os 90%, apesar de, a meio desta onda de paralisações, terem sido marcados serviços mínimos.

As greves e os protestos continuam, assim como o diálogo com o Ministério da Educação. Em cima da mesa está a recuperação do tempo de serviço dos docentes, as novas regras de colocação e vinculação de professores, bem como uma evolução da carreira que permita aos professores terem melhores salários, entre outros assuntos.

O Governo assegura que as propostas que têm feito representam um avanço significativo. Visão diferente têm os sindicatos que acusam o Governo de demonstrar pouca seriedade no processo negocial.

O braço de ferro continua esta semana, com novas rondas negociais marcadas para quarta e sexta-feira. Ao que a Renascença apurou, será adotado o mesmo modelo da última ronda, ou seja, a equipa ministerial receberá todos os sindicatos ao mesmo tempo, em mesa negocial única.

A manifestação de professores vai condicionar o trânsito a partir das 12h30 de sábado em várias zonas do centro de Lisboa, existindo algumas vias que vão estar interditas à circulação, indica a PSP.

Segundo o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP (Cometlis), os professores vão concentrar-se a partir das 14h00 junto ao Marquês de Pombal e o início do desfile está previsto para as 15h30, entre a Praça Marquês de Pombal e a Praça do Comércio.

A PSP avança que, para garantir a realização da manifestação e a segurança dos seus participantes, vai ser efetuado a partir das 12h30 "de forma sequencial e à medida que seja necessário o condicionamento de trânsito" nas avenidas Fontes Pereira de Melo, Duque de Loulé e Joaquim António de Aguiar, Rua Braamcamp, Túnel do Marquês de Pombal (no sentido descendente só será possível sair para a Avenida António Augusto de Aguiar), Praça Marquês de Pombal, Avenida da Liberdade, Praça dos Restauradores, Rua 1º de Dezembro, Praça Dom João da Câmara, Praça Dom Pedro IV, Rua Áurea e Praça do Comércio.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ex-sindico
    11 fev, 2023 Frente 11:03
    Não há qualquer negociação, pelo menos negociação séria. O governo persiste em questões de pormenor e pormenorzinhos, que apenas e só são coisa que seria obrigado a dar por imposição de Bruxelas e outras que até agravam o que já existe, ao mesmo tempo que foge como o Diabo da Cruz, da recuperação do tempo de serviço, quotas de acesso aos 5º e 7º escalões, etc. As greves e a luta vão continuar, pois não faz qualquer sentido parar, quando nada se obteve.

Destaques V+