A+ / A-

Mais de 240 professores e educadores passam à reforma em março

08 fev, 2023 - 17:15 • Fátima Casanova

Os números da Caixa Geral de Aposentações permitem concluir que cresce o número de aposentações na educação.

A+ / A-

Em março vão aposentar-se 244 educadores e professores das escolas públicas, o que representa mais do dobro do que aconteceu em igual período do ano passado, indicam as listas da Caixa Geral de Aposentações.

Fazendo as contas aos três primeiros meses do ano, mais de 740 docentes deixam a escola, mais do que em todo o ano de 2018, período a partir do qual começaram a acelerar as aposentações.

Os números são conhecidos numa altura em que a classe docente promove um conjunto de protesto em precedentes em Portugal.

Esta quarta-feira, mais de 2.500 professores preencheram a Avenida dos Aliados, no Porto, no último dia da greve distrital convocada pela plataforma sindical liderada pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof), a que se juntou a Federação Nacional da Educação (FNE).

De acordo com os sindicatos, a maioria das escolas do distrito do Porto ficou de portas fechadas. Os professores reivindicam, entre outras questões, a contagem de todo o tempo de serviço e o fim das quotas.

Também esta quarta-feira, o Ministério da Educação convocou as organizações sindicais de professores para nova ronda negocial a ter lugar na próxima semana. Na agenda continua o novo regime de gestão e recrutamento de docentes.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Perda de tempo
    09 fev, 2023 Farsa de negociações 14:14
    Eu, se fosse aos Sindicatos, marcava novo período de greves e nem aparecia nessa tal reunião, que vai ser uma farsa, como as outras: a mesma agenda de coisas que já existem ou que Bruxelas impõe que existam, e nem uma frase sobre recuperação de tempo de serviço, fim das quotas de acesso aos 5º e 7º escalões, ultrapassagens, reposicionamentos de carreiras, etc. Assim sendo, essas reuniões de 15 e 17 de fevereiro, são pura perda de tempo.

Destaques V+