Tempo
|
A+ / A-

Mau tempo

Inundações foram "desastrosas" para o comércio local e são precisos apoios imediatos, avisam empresas

13 dez, 2022 - 22:04 • João Malheiro

Micro, pequenas e médias empresas dizem que não podem esperar por um levantamento do Executivo antes que haja medidas urgentes no terreno. Jorge Pisco acredita que o Governo "tem dinheiro do Orçamento de Estado para acudir a estas empresas"

A+ / A-
Jorge Pisco, da Confederação Portuguesa das Micro, Pequenas e Médias Empresas, alerta para consequências desastrosas das cheias no comércio local
Jorge Pisco, da Confederação Portuguesa das Micro, Pequenas e Médias Empresas

O presidente da Confederação Portuguesa de Micro, Pequenas e Médias Empresas (CPPME) alerta que as inundações dos últimos dias foram "desastrosas" para o comércio local e pede apoios do Governo "urgentes e imediatos".

À Renascença, Jorge Pisco explica que milhares de micro empresas, a semanas do Natal, foram bastante afetadas pelas cheias verificadas nos últimos dias, em Portugal, devido ao mau tempo.

"Se algumas destas empresas já estavam com a corda da garganta, por causa da pandemia e da inflação, agora a situação é mesmo dramática", relata.

A CPPME defende que as empresas precisam de medidas urgentes no terreno e não pode esperar por um levantamento do Executivo antes que isso aconteça.

E Jorge Pisco acredita que o Governo "tem dinheiro do Orçamento de Estado para acudir a estas empresas" no imediato, antes de poder equacionar o uso de fundos europeus.

"Noutras crises, o Governo vai esperando para ver o que acontece. E depois diz que tem linhas de crédito e finge que está a fazer um grande esforço de solidariedade, quando não o faz", critica, ainda.

Inundações em Lisboa. Comerciantes da baixa de Lisboa contam prejuízos
Inundações em Lisboa. Comerciantes da baixa de Lisboa contam prejuízos
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+