Tempo
|
A+ / A-

Vigília contra envio de doentes oncológicos do Algarve para Sevilha

06 dez, 2022 - 10:37 • Lusa

Foi agendada para dia 13 em frente à Câmara de Loulé, a partir das 15h00. Foi uma clínica espanhola a ganhar um concurso público internacional.

A+ / A-

O Movimento em Defesa dos Doentes com Cancro do Algarve realiza no dia 13 uma vigília em frente à Câmara de Loulé contra um concurso público que obriga doentes da região a deslocarem-se a Espanha para receberem tratamento de radiocirurgia.

Em comunicado, o movimento adianta que a vigília visa protestar "contra o envio dos doentes com cancro por parte do Governo socialista do dr. António Costa, via decisão do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA), para tratamento em Sevilha, numa empresa privada de saúde, quando tinha uma alternativa viável em Faro".

Com a iniciativa, agendada para a próxima terça-feira às 15h00, o movimento pretende ainda "exigir o cancelamento imediato dos efeitos deste concurso público internacional [...] e a demissão do conselho de administração do CHUA" por considerar que "não respeita os direitos dos doentes oncológicos" da região do Algarve.

"O protesto tem também como objetivo acordar os autarcas do Algarve do seu sono profundo e exigir que intervenham junto do ministro da Saúde, Manuel Pizarro, do primeiro-ministro, António Costa, e da presidente do Conselho de Administração do CHUA, Ana Varges Gomes, para travar imediatamente esta violação dos direitos dos doentes com cancro", lê-se na nota.

Concurso público ditou resultado

Os responsáveis do movimento aproveitaram para criticar o presidente da Câmara de Loulé, Vítor Aleixo, por não "ter ainda dito uma única palavra sobre esta questão", apelando aos deputados municipais do Algarve para que façam aprovar nas assembleias municipais algarvias moções de censura à decisão do CHUA.

"Queremos os doentes da região a serem tratados em território nacional com qualidade e respeitando o critério de proximidade da sua região de residência. Esta grosseira violação do artigo 64.º da Constituição da República, que fere o direito à saúde e o direito à equidade de tratamento na saúde, não pode passar impune", prossegue a nota.

Segundo o movimento, em sinal de protesto, será afixado à porta da Câmara de Loulé (distrito de Faro) um "V da Vergonha, que será o símbolo da decisão do CHUA de enviar os doentes com cancro do Algarve para Espanha e de uma decisão que envergonha toda uma região".

A realização de tratamentos de radiocirurgia para doentes oncológicos do Algarve em Sevilha, Espanha, resulta do facto de ter sido uma clínica espanhola a ganhar um concurso público internacional, ao qual concorreram duas empresas, uma portuguesa e outra espanhola, para a prestação desse serviço.

Os deputados do PSD eleitos pelo Algarve também já anunciaram quererem ouvir no parlamento com caráter de urgência a administração do Centro Hospitalar do Algarve, a Entidade Reguladora da Saúde (ERS) e associações de doentes, para esclarecer a situação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Alvaro
    06 dez, 2022 Altura 12:41
    Realmente é uma Vergonha a decisão tomada pelos responsáveis do CHUA em relação a este assunto. Devem rectificar está situação de modo que os doentes oncológicos Algarvios efectuem os tratamentos na sua região e não no estrangeiro. Acabar com decisões ABSURDAS que não cabem na cabeça de um responsável......

Destaques V+