A+ / A-

MAI nega infiltração da extrema-direita nas forças de segurança

06 dez, 2022 - 16:42 • Susana Madureira Martins , com redação

Ministro da Administração Interna pede celeridade à Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) sobre o alegado envolvimento de membros da PSP e da GNR em práticas xenófobas e de incitamento ao ódio.

A+ / A-

O ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, acredita que não há elementos de extrema-direita infiltrados nas forças de segurança.

Ouvido esta terça-feira no Parlamento, José Luís Carneiro diz não ter dados que confirmem a presença de elementos radicais nas polícias.

“Há luz das informações que temos hoje, não há uma infiltração com carácter intencional relativamente às forças de segurança que se tem vindo a verificar noutros países”, declarou o governante.

José Luís Carneiro considera que “não podemos confundir a parte com o todo”.

O ministro da Administração Interna pede celeridade à Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) sobre o alegado envolvimento de membros da PSP e da GNR em práticas xenófobas e de incitamento ao ódio.

O governante revelou que 107 elementos da PSP e da GNR foram demitidos, aposentados compulsivamente e separados do serviço desde 2019 por violarem “valores fundamentais do Estado de direito”.

José Luís Carneiro está a ser ouvido no parlamento a pedido do PCP, BE e Livre, na sequência de notícias que dão conta de forças de segurança em atos deste tipo.

Ainda esta terça-feira é ouvida no Parlamento a IGAI, o comandante geral da GNR e o diretor nacional da PSP.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+