A+ / A-

Enfermeiros voltam à greve para forçar novas negociações

22 nov, 2022 - 04:29 • Lusa

Esperam-se condicionamentos nos serviços de saúde nos próximos dois dias, embora estejam previstos serviços mínimos.

A+ / A-

Os enfermeiros cumprem estas terça e quarta-feira mais dois dias de greve a reivindicar o pagamento de retroativos a janeiro de 2018 e a paridade da sua carreira com a dos licenciados da administração pública.

Estes dois dias de greve foram convocados pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e seguem-se a uma primeira paralisação realizada na quinta e sexta-feira, que, segundo a dirigente Guadalupe Simões, registou uma adesão global de cerca de 60%.

Com esta paralisação, o SEP espera que o ministério de Manuel Pizarro agende uma reunião para iniciar negociações destinadas a repor a paridade entre a carreira de enfermagem e a de técnico superior da administração pública, alegando que se verifica uma discriminação em todos os níveis remuneratórios.

Além disso, o sindicato reivindica o pagamento da reposição dos pontos da carreira com retroativos a janeiro de 2018 e não a janeiro deste ano, como decidiu o Governo recentemente.

O pré-aviso da greve prevê serviços mínimos a “prestar em situações impreteríveis”, como urgências, cuidados intensivos, bloco operatório com exceção das cirurgias programadas, hemodiálise e tratamentos oncológicos, entre outras.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • JM
    22 nov, 2022 Seixal 15:14
    Eu também estou à espera dos retroactivos desde 2012 do dinheiro que me roubaram.

Destaques V+