Tempo
|
A+ / A-

Monkeypox. Portugal regista uma semana sem novos casos

28 out, 2022 - 08:29 • Carla Caixinha

Desde 3 de maio foram já identificados 944 casos no país.

A+ / A-

“Desde 21 de outubro não foram reportados novos casos confirmados em Portugal.” A informação é avançada pelo boletim da Direção-Geral de Saúde.

Desde 3 de maio até 26 de outubro de 2022, foram já identificados 944 casos no país.

Dos 873 casos reportados no Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica, “a maior parte pertence ao grupo etário entre os 30 e 39 anos” e são do sexo masculino (99%). Há ainda registo de oito casos (1%) no sexo feminino.

Até ao passado domingo, foram vacinadas 918 pessoas, 325 das quais “em contexto de vacinação preventiva”. A DGS lembra que em Portugal “pretende-se reforçar a vacinação visando a redução das cadeias de transmissão e o controlo do surto”.

A DGS informou que, devido à “diminuição do número de casos reportados”, passará a publicar os dados referentes ao Monkeypox com uma periocidade quinzenal em vez de semanal.

Confira aqui a lista de locais para vacinação.

Os sintomas mais comuns da infeção por Monkeypox são febre, dor de cabeça intensa, dores musculares, dor nas costas, cansaço, aumento dos gânglios linfáticos com o aparecimento progressivo de erupções que atingem a pele e as mucosas.

Uma pessoa que esteja doente deixa de estar infecciosa apenas após a cura completa e a queda de crostas das lesões dermatológicas, período que poderá, eventualmente, ultrapassar quatro semanas.

O vírus transmite-se por contacto físico próximo, nomeadamente com as lesões ou fluidos corporais, ou por contacto com material contaminado, como lençóis, atoalhados ou utensílios pessoais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+