Tempo
|
A+ / A-

Mau tempo

Depressão Armand já provocou 295 ocorrências. Chuva e vento fortes duram até sábado

19 out, 2022 - 10:14 • Fátima Casanova com Lusa

Portugal continental está a ser afetado desde esta quarta-feira e até sábado pelos efeitos da depressão Armand, com vento, chuva por vezes forte e persistente e agitação marítima.

A+ / A-

Desde ontem à tarde até às 10h da manhã desta quarta-feira tinham já sido registadas 295 ocorrências na sequência da depressão Armand, que vai manter Portugal continental fustigado por ventos e chuva por vezes fortes, bem como agitação marítima, pelo menos até sábado.

O balanço foi feito pelo comandante Miguel Oliveira, oficial de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil, à Renascença.

"Desde o início do estado de alerta, às 18h de ontem foram registados no território continental 295 ocorrências associadas às condições meteorólogicas."

A maioria das ocorrências, "essencialmente pequenas inundações urbanas e quedas de árvores", tiveram lugar nos distritos do Porto, Lisboa, Braga e Aveiro.

Portugal continental está a ser afetado desde esta quarta-feira e até sábado pelos efeitos da depressão Armand, com vento, chuva por vezes forte e persistente e agitação marítima, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em comunicado, o IPMA adianta que os efeitos da depressão vão ser sentidos pelo menos até sábado, com vento por vezes forte, transportando uma massa de ar tropical muito húmida.

Mau tempo até sábado, Madeira também será afetada

Por causa da depressão, está também prevista a ocorrência de precipitação por vezes forte e persistente, e vento forte no litoral e terras altas hoje e quinta-feira, com rajadas de vento nos períodos de maior instabilidade, podendo atingir 95 quilómetros por hora (km/h) no litoral Norte e terras altas.

Está ainda previsto um aumento significativo da agitação marítima a partir do fim da tarde de quinta-feira, com ondas de sudoeste com até 5 metros.

O IPMA adianta também que esta depressão afetará igualmente o arquipélago da Madeira, onde se espera a ocorrência de precipitação por vezes forte e persistente, em especial na quinta-feira, assim como um aumento da agitação marítima, com ondas de noroeste com 04 metros.

Os distritos de Bragança, Viseu, Porto, Guarda, Faro, Vila Real, Setúbal, Santarém, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Beja, Castelo Branco, Aveiro, Coimbra, Portalegre e Braga vão estar sob aviso amarelo até às 21:00 de hoje devido à chuva, por vezes forte, que pode ser acompanhada de trovoada e rajadas.

Os distritos do Porto, Viana do Castelo e Braga têm aviso laranja por causa do vento, temporariamente forte com rajadas até 95 quilómetros por hora (km/h) no litoral e terras altas, passando depois a amarelo.

Também por causa do vento, mas sob aviso amarelo estão os distritos do Porto, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Aveiro, Coimbra e Braga, até às 12:00 de hoje, e depois entre as 06:00 e as 15:00 de quinta-feira.

O IPMA emitiu também aviso amarelo para os distritos do Porto, Faro, Setúbal, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Beja, Aveiro, Coimbra e Braga por causa da agitação marítima, prevendo-se ondas de oeste/sudoeste com 04 a 05 metros, passando gradualmente a ondas de oeste/noroeste entre as 03:00 de quinta-feira e as 03:00 de sexta-feira.

A costa Norte da Madeira e o Porto Santo vão estar também sob aviso amarelo por causa da agitação marítima entre as 06:00 de quinta-feira e as 00:00 de sexta-feira.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

A Proteção Civil registou entre as 18:00 de terça-feira e as 07:00 de hoje 83 ocorrências relacionadas com o mau tempo no continente, sobretudo inundações e queda de árvores.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+