Tempo
|
A+ / A-

Fenprof em greve ao trabalho extraordinário a partir de 24 de outubro

10 out, 2022 - 14:24 • Lusa

Federação Nacional dos Professores quer que Governo corrija "abusos e ilegalidades" alegadamente cometidos nos horários de trabalho. Greve não afetará aulas normais, garante Fenprof.

A+ / A-

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciou nesta segunda-feira uma greve ao sobretrabalho e ao serviço extraordinário a partir do dia 24 de outubro para exigir a correção de "abusos e ilegalidades" nos horários de trabalho.

A estrutura sindical vai entregar hoje os primeiros pré-avisos diários de greve e, em comunicado, admite que a greve possa prolongar-se até ao final do ano letivo.

Em causa está aquilo que consideram ser uma posição de indisponibilidade por parte do Ministério da Educação para corrigir os horários de trabalho.

"Em julho, a Fenprof propôs ao Ministério da Educação uma reunião para identificar e corrigir, com a publicação de diploma legal ou a clarificação junto das escolas, os abusos e ilegalidades que em muitas escolas afetam os horários de trabalho dos educadores e professores", explicam em comunicado.

Os representantes dos professores dizem ter, entretanto, enviado, a pedido da tutela, uma lista de compromissos negociados em 2018 que não foram cumpridos e outra lista com tarefas que consideram burocráticas, mas não tiveram qualquer resposta do Ministério até ao momento.

"Contrariando as palavras do ministro, a falta de professores está mesmo a provocar uma ainda maior sobrecarga de trabalho sobre quem está a trabalhar nas escolas", argumentam, para justificar o recurso à greve.

Tratando-se de greves ao sobretrabalho, a Fenprof assegura que estão apenas em causa atividades como reuniões ou serviço extraordinário, e não a atividade normal dos docentes.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ex-professor
    10 out, 2022 5 de out 14:10
    A greve devia incidir também nas ditas atividades não-letivas - mais uma "pérola" da "reitora" - que muitas direções aproveitam para forçar aulas e outras atividades que não têm lugar nas não-letivas

Destaques V+