Tempo
|
A+ / A-

​PJ e FBI fecham servidor que vendia dados roubados

13 set, 2022 - 13:24 • Celso Paiva Sol

A Judiciária fala em seis milhões de dados disponíveis, como por exemplo passaportes, cartas de condução digitalizadas, contas bancárias, cartões de crédito e credenciais de acesso a vários bancos e sistemas de pagamento online.

A+ / A-

A pedido das autoridades norte-americanas, a Polícia Judiciária desmantelou em Portugal um servidor que alojava um site de compra e venda de informações pessoais, obtidas de forma ilícita na Internet.

A Judiciária fala em seis milhões de dados disponíveis, como por exemplo passaportes, cartas de condução digitalizadas, contas bancárias, cartões de crédito e credenciais de acesso a vários bancos e sistemas de pagamento online.

Ao que a Renascença conseguiu apurar, o servidor denominado “WT1SHOP” era gerido por um cidadão moldavo, que não se encontra em Portugal.

Nesta investigação não estão incluídos os documentos da NATO que estiveram à venda na Dark Web.

Neste servidor, e a outros quatro que lhe estão associados que entretanto foram também desmantelados pelo FBI, estão registados 100 mil utilizadores, que, usando moedas virtuais, podiam comprar qualquer um destes dados.

Para já, estão confirmados lucros na ordem dos quatro milhões de dólares.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+