Tempo
|
A+ / A-

EUA financiam projeto português sobre interação homem-máquina

01 set, 2022 - 19:28 • Lusa

O âmbito do projeto insere-se na área de interesse da Força Aérea norte-americana que pretende lançar as bases científicas para criar equipas homem-máquina de alto desempenho.

A+ / A-

Um projeto liderado pelo instituto português INESC-ID obteve financiamento da Força Aérea norte-americana para desenvolver robôs capazes de formar equipa com humanos, uma colaboração que poderá ser útil no resgate de vítimas em desastres naturais.

O projeto, financiando com 300 mil dólares (299 mil euros), arrancou oficialmente hoje e decorrerá até agosto de 2024, sendo liderado pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores: Investigação e Desenvolvimento (INESC-ID), em Lisboa.

O coordenador do projeto, Alberto Sardinha, disse à Lusa que o objetivo é "desenvolver robôs que são capazes de formar uma equipa com humanos" em cenários em que ambos "não tenham colaborado no passado".

Para tal, o grupo de investigação, que inclui também investigadores da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, no Brasil, vai criar algoritmos de inteligência artificial de trabalho em equipa e "explorar a questão da confiança" entre humanos e robôs e ver como os algoritmos se podem adaptar a humanos com diferentes níveis de confiança nos robôs.

Segundo Alberto Sardinha, investigador do INESC-ID e professor do Instituto Superior Técnico, robôs capazes de trabalhar em equipa com humanos desconhecidos "podem ser úteis" em cenários como o de resgate de vítimas em desastres naturais ou o de tratamento de doentes num hospital.

O âmbito do projeto insere-se na área de interesse da Força Aérea norte-americana que pretende lançar as bases científicas para criar equipas homem-máquina de alto desempenho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+