Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Sindicado Independente dos Médicos

Problemas nas urgências de obstetrícia tiveram "maior dimensão" em agosto

25 ago, 2022 - 23:42 • João Malheiro

O secretário-geral do SIM avisa que "haverá um grande número de médicos a reformar-se em setembro" o que vai contribuir para um agravamento da situação no Serviço Nacional de Saúde.

A+ / A-

O secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos (SIM) alerta que os problemas nas urgências de genecologia e obstetrícia tiveram "maior dimensão", em agosto, do que no mês anterior.

À Renascença, Jorque Roque da Cunha relata problemas diários no hospital do Barreiro ou na Materinade Alfredo da Costa e o hospital de Setúbal - "que está em contigência", acrescenta.

"É uma situação de uma gravidade extraordinária. Como é que é possível haver um Governo, perante uma situação destas, que se mantenha em impávido e sereno?", lamenta.

"De facto, não tem havido vontade objetiva para ultrapassar muitos destes problemas", critica, ainda.

O secretário-geral do SIM avisa que "haverá um grande número de médicos a reformar-se em setembro" o que vai contribuir para um agravamento da situação no Serviço Nacional de Saúde.

Roque da Cunha indicou que "houve um aumento de rescisões" no SNS e que este problema não é sazonal, mas sim "uma questão estrutural".

Mais de três dezenas de médicos especialistas de Ginecologia e Obstetrícia (GO)manifestaram, esta quinta-feira, a sua solidariedade para com os mais de 400 médicos internos que comunicaram, recentemente, a sua indisponibilidade para realizar mais de 150 horas extraordinárias.

O secretário-geral do SIM compreende que nem todas as reivindicações podem ter resposta imediata, contudo pede, em primeiro lugar, "respeito" do Governo para com os profissionais de saúde e uma resposta do Ministério da Saúde.

"Era obrigatório pelo menos ouvir estes médicos", defende.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+