Tempo
|
A+ / A-

Hospital das Caldas da Rainha. 15 jovens enfermeiros estão em risco de despedimento

25 ago, 2022 - 12:34 • Redação

Os enfermeiros foram chamados para reforçar serviço durante a pandemia, mas contrato alargado está prestes a chegar ao fim. Sindicato exige a "vinculação definitiva” dos profissionais.

A+ / A-

Quinze enfermeiros da urgência de Caldas da Rainha do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) correm o risco de serem despedidos no final deste mês por falta de autorização do Governo para a contratação, alertou esta quinta-feira o Sindicato dos Enfermeiros.

Com um protesto a decorrer frente ao hospital ao início desta tarde, Ivo Gomes, do Sindicato dos Enfermeiros, disse à agência Lusa que os contratos de quatro meses vão terminar no final deste mês.

“A instituição já pediu autorização para a renovação ou celebração de novos contratos e a tutela ainda não deu resposta nem sobre esta questão, nem sobre a aprovação do Plano de Atividades e Orçamento, que viria a colmatar estas necessidades”, explicou o dirigente, referindo-se à celebração de contratos sem termo.

O Sindicato dos Enfermeiros “exigiu a vinculação definitiva” destes profissionais, já que, se estes profissionais não voltarem a ser contratados, as urgências poderão ser afetadas já em setembro.

"Estão em causa a continuidade e a segurança dos cuidados de saúde, as escalas para setembro da urgência e o pagamento de horas extraordinárias de cerca de 100 turnos por mês neste serviço.”

Questionada pela Lusa, a presidente do conselho de administração do CHO, Elsa Baião, esclareceu que “os contratos não são passíveis de serem renovados do ponto de vista legal”, mas a instituição “está a tentar encontrar uma solução transitória”.

O CHO integra os hospitais das Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche, tendo uma área de influência constituída pelas populações dos concelhos das Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça e de Mafra.

Estes concelhos dividem-se entre os distritos de Lisboa e Leiria e representam uma população de cerca de 293 mil pessoas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    25 ago, 2022 Lisboa 14:29
    Agora despedem-nos e quando "o contador ficar a zeros" voltam a contrata-los precariamente até imediatamente antes de serem obrigados a passá-los aos quadros, que aí é novamente porta da rua e "daqui a 15 dias venham cá para assinar mais um contratozinho precario" ... Depois admiram-se de 4500 profissionais que custaram bom dinheiro a formar, terem abandonado o País.

Destaques V+