Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Chamas já consumiram quase um quinto do Parque Natural da Serra da Estrela

12 ago, 2022 - 09:43 • Olímpia Mairos

Maior incêndio do ano já consumiu mais de 16 mil hectares. No combate às chamas estão, na manhã desta sexta-feira, cerca de 1.600 operacionais, apoiados por 500 viaturas.

A+ / A-

O incêndio na Serra da Estrela, que deflagrou no concelho da Covilhã e alastrou para Manteigas, Gouveia, Guarda e Celorico da Beira está ativo há sete dias e, já consumiu mais de 16 mil hectares, o equivalente a 16 mil campos de futebol.

Segundo os dados recolhidos pela Renascença junto do Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (EFFIS), é o maior fogo e o mais devastador do ano, com 16.310 hectares de área ardida.

O fogo deflagrou junto à localidade de Garrocho, no concelho da Covilhã, pelas 3h00 da madrugada, do dia 6 de agosto e já consumiu quase um quinto do Parque Natural da Serra da Estrela.

O incêndio da Serra da Estrela é de longe o mais devastador do ano. Os outros fogos com mais área ardida são: Murça, em Vila Real (7.058 hectares), Pombal, Leiria (5.126) e Chaves, Vila Real (3.368).

Este incêndio também é um dos maiores dos últimos quatro anos em Portugal:

  • Monchique (2018) - 26.763 hectares
  • Proença-a-Nova (2020) - 14.878 hectares
  • Serra da Estrela (2022) - 16.310 até agora
  • Vila de Rei (2019) - 9.249 hectares
  • Castro Marim (2021) - 6.629 hectares

No combate às chamas estão, na manhã desta sexta-feira, cerca de 1.600 operacionais, apoiados por 500 viaturas.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+