Tempo
|
A+ / A-

​Falta de enfermeiros deve-se a falta de condições laborais, diz sindicato

03 ago, 2022 - 13:44 • Redação

Tutela recebe ao longo desta quarta-feira as associações que representam os enfermeiros. Presidente do sindicato lembra que saíram para o mercado de trabalho três mil enfermeiros e que as instituições têm liberdade de contratação.

A+ / A-

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) garante que o problema de falta de enfermeiros deve-se a deficientes condições laborais e não a falta de profissionais.

“Neste momento não há razões para haver carência de enfermeiros nas instituições. Por um lado, saíram cerca de três mil enfermeiros agora durante o mês de junho e julho e, por outro lado, as instituições têm autonomia para contratar”, explicou o presidente do SEP, José Carlos Martins, depois da reunião com o secretário de Estado da Saúde.

O sindicalista refere que o problema “é um excesso de volume de trabalho”, algo que considera “inadmissível neste cenário de haver enfermeiros e ser possível contratar no imediato”.

O secretário de Estado da Saúde Lacerda Sales está esta quarta-feira a ouvir as várias organizações representantes dos enfermeiros para analisar as progressões de carreira no setor.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+