Tempo
|
A+ / A-

Incêndios

Em Vila Real e em Cinfães. Detidos mais dois suspeitos de fogo posto

02 ago, 2022 - 13:19 • Lusa

Em Vila Real, a GNR deteve um homem de 39 anos em flagrante. Em Cinfães, o detido, também do sexo masculino, está “fortemente indiciado” pela autoria de um crime de incêndio florestal.

A+ / A-

A GNR deteve em flagrante um homem de 39 anos suspeito de atear focos de incêndios em área florestal, em Vila Real, com recurso a um isqueiro, anunciou esta terça-feira o comando territorial da força policial.

Após um alerta de incêndio florestal na segunda-feira, os elementos da Equipa de Proteção Florestal (EPF), do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) de Vila Real, deslocaram-se “de imediato” para o local onde detetaram o suspeito a atear focos de incêndio.

A GNR avança, em comunicado, que o suspeito estaria a atear os fogos com “recurso a um isqueiro”, numa área florestal.

A Guarda acrescentou que o incêndio terá consumido cerca de um hectare de terreno.

O suspeito foi detido pela GNR e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Vila Real.

O Comando Territorial de Vila Real disse ainda que identificou, este ano, 42 suspeitos de incêndios florestais, dos quais 11 foram detidos em flagrante.

Em 2021, foram identificados 83 suspeitos do mesmo crime, tendo sido detidos oito em flagrante.

A GNR relembrou que as queimas e queimadas são das principais causas de incêndios em Portugal, que a realização de queimadas, de queima de amontoados e de fogueiras é interdita sempre que se verifique um nível de perigo de incêndio rural “muito elevado” ou “máximo”, estando dependente de autorização ou de comunicação prévia noutros períodos.

Para evitar acidentes, a Guarda pede que sejam seguidas as regras de segurança e recorda que a Linha SOS Ambiente e Território (808 200 520) funciona em permanência para a denúncia de infrações ou esclarecimento de dúvidas.

Suspeito detido em Vila Real

Uma outra detenção anunciada esta terça-feira. Um homem de 54 anos foi detido por ser “fortemente indiciado” por a autoria de um crime de incêndio florestal em Cinfães, segundo relata a Polícia Judiciária (PJ) em comunicado.

“A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Norte, com a colaboração da GNR, identificou e deteve, no dia de ontem [segunda-feira], fora de flagrante delito, o presumível autor de um crime de incêndio florestal, ocorrido em áreas da freguesia Souselo”, anuncia.

Souselo situa-se no concelho de Cinfães, na região norte do distrito de Viseu, e, segundo a nota de imprensa, o homem detido é “fortemente indiciado pela autoria de crime” deste fogo florestal ocorrido esta segunda-feira.

“O fogo terá sido provocado com recurso a isqueiro, tendo o autor ateado o incêndio em zona de mato confinante com zona habitacional e floresta, colocando em perigo manchas florestais significativas, aglomerados populacionais e habitações”, refere o documento.

O suspeito, “de 54 anos de idade, vai ser presente à competente autoridade judiciária, para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+