Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Aveiro

"Guardiões do rio". Azeméis cria brigada para detetar descargas poluentes nos rios

14 jul, 2022 - 13:23 • Lusa

À semelhança do que já acontece em Santa Maria da Feira, onde o grupo Indaqua tem idêntica concessão, a nova equipa de “Guardiões do Rio” será financiada com recurso a uma parceria entre a empresa, o município de Oliveira de Azeméis e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

A+ / A-

A concessionária da rede de água e saneamento de Oliveira de Azeméis implementa na sexta-feira nesse concelho do distrito de Aveiro uma brigada de funcionários especialmente dedicada a detetar descargas poluentes nos rios locais.

À semelhança do que já acontece em Santa Maria da Feira, onde o grupo Indaqua tem idêntica concessão, a nova equipa de “Guardiões do Rio” será financiada com recurso a uma parceria entre a empresa, o município de Oliveira de Azeméis e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), propondo-se a agilizar a fiscalização dos diversos cursos de água do concelho e responder com mais celeridade a denúncias sobre eventuais focos de contaminação.

Para o diretor-geral da Indaqua Oliveira de Azeméis, Nuno Laranjo, a medida permite reforçar “de forma contínua e permanente a monitorização das linhas de água do concelho, tendo especial atenção a zonas críticas” como as próximas de zonas industriais ou de unidades fabris que, embora isoladas, sejam de grande dimensão ou representem particular risco.

Está também definido “um plano de inspeção às descargas industriais autorizadas e aos coletores localizados junto de unidades industriais”, para garantia de que uns e outros “cumprem os parâmetros necessários”.

À população local caberá, por sua vez, informar a equipa de “Guardiões do Rio” sempre que detetar ocorrências poluentes ou potenciais fontes de descargas ilegais, através de uma linha telefónica própria (256690150), operacional 24 horas por dia.

Nuno Laranjo realçou à Lusa que a estratégia resultante do trabalho entre Indaqua, Câmara Municipal e APA procurará ainda sensibilizar a comunidade de Oliveira de Azeméis para a necessidade crescente de proteger os recursos hídricos do território, fazendo “diminuir o número de ocorrências com risco ambiental nos cursos de água do concelho e, ao mesmo tempo, dissuadindo eventuais poluidores”.

A expectativa é que a nova brigada permita assim “reduzir a pressão ambiental a que essas linhas de água ainda estão sujeitas, sobretudo devido a descargas ilegais de efluentes não apenas industriais, mas também domésticos”.

Em Santa Maria da Feira, onde os “Guardiões do Rio” entraram em atividade em 22 de março, essa brigada local já deu resposta a cerca de 30 denúncias, todas elas relacionadas com descargas poluidoras e comunicadas telefonicamente através da linha criada para o efeito.

“No terreno, a equipa percorre os cursos de água de forma periódica, com o objetivo de detetar eventuais alterações de cor ou odor e recolhendo amostras para análise sempre que se detetem potenciais focos de poluição”, explicou o diretor-geral da Indaqua Feira, Daniel Cardoso.

Nessa intervenção, os técnicos da referida brigada procuram também informar os habitantes da zona sobre o trabalho em causa, o que ajuda a disseminar um comportamento de maior vigilância na respetiva comunidade.

“Na sequência das intervenções promovidas pela equipa, já identificámos vários focos de poluição que, de acordo com o protocolado, foram prontamente reportados às entidades competentes”, adiantou Daniel Cardoso, acrescentando que na sequência dessas situações “foram já emitidos três autos de contraordenação”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+