Tempo
|
A+ / A-

Filme "Velocidade Furiosa" corta estrada entre Lamego e Castro Daire

24 jun, 2022 - 18:38 • Lusa

Autoestrada que liga Viseu a Vila Real vai estar cortada em Lamego, Armamar e Castro Daire, a 28 e 29 junho, devido a filmagens da película "Velocidade Furiosa".

A+ / A-

A Autoestrada A24, que liga Viseu a Vila Real, vai estar cortada ao trânsito na região de Lamego e Armamar, em 28 de junho, e de Castro Daire, no dia seguinte, devido às filmagens da película "Velocidade Furiosa".

"Devido às filmagens de um filme da Universal Pictures - "Velocidade Furiosa" - , no dia 28 de junho, entre as 06:00 e as 22:00, a Autoestrada A24 estará encerrada entre Lamego (entrada nº9) e Armamar/Valdigem (entrada nº10)", informou a Câmara Municipal de Lamego.

Numa nota de imprensa, publicada na página da internet e nas redes sociais da autarquia lamecense, o executivo municipal faz ainda um "pedido de desculpas pelo incómodo" e publica uma nota da produtora cinematográfica.

Postura idêntica é partilhada pela Câmara de Castro Daire, igualmente no distrito de Viseu, que escreve que, devido ao facto de o "concelho ser palco das gravações de uma das maiores sagas cinematográficas do mundo durante as próximas semanas" a A24 estará encerrada.

"A localização das filmagens irá criar alguns condicionamentos à mobilidade no nosso concelho durante as gravações. Pedimos a compreensão de todos, na exata medida que se trata de uma oportunidade única de colocar Castro Daire no panorama cinematográfico mundial, com a enorme expectativa positiva dos impactos daí inerentes", defende.

Assim, a A24 entre o nó de acesso a Carvalhal e o da saída norte de Castro Daire estará cortada ao trânsito entre as 06:00 e as 22:00 do dia 29 de junho, podendo os condutores usarem, como alternativa, a Estrada Nacional 2 (EN2) que atravessa o centro da vila.

Em maio, o presidente da Câmara Municipal de Viseu, Fernando Ruas, já tinha revelado que a produtora tinha contactado o município para a cidade ser "o quartel-general" das filmagens que "vão fazer em vários concelhos do distrito" de Viseu.

Com argumento de Justin Lin e Dan Mazeau, o filme conta, no elenco, com Vin Diesel, Charlize Theron, Jason Momoa, Brie Larson, Michelle Rodriguez e a portuguesa Daniela Melchior, entre outros. A rodagem acontece no Reino Unido, na Itália e em Portugal.


De acordo com a publicação norte-americana The Hollywood Reporter, o orçamento do filme já ultrapassou os 300 milhões de dólares (cerca de 284 milhões de euros), valor que não inclui gastos em "marketing" e publicidade.

Por motivos de confidencialidade contratual, há muitos detalhes que não podem ser revelados, nomeadamente orçamentais, mas a produtora, Sofia Noronha, disse que se trata de "um investimento económico brutal no país".

"É abrir as torneiras e utilizarmos o máximo de serviços portugueses [...] Portugal tem todas as condições para ser um grande sítio de filmagens, não só pelo tempo, pelos preços acessíveis e pela mão de obra, [mas também porque] somos todos bastante flexíveis - os portugueses aprendem muito rápido. Mas não tínhamos ainda este mercado aberto", realçou.

A Sagesse Productions foi criada em 2020, em plena pandemia, "numa altura incerta", mas com trabalho consecutivo deste então, disse Sofia Noronha, nomeadamente com "Fast-X", "House of the Dragon", a prequela da série televisiva "A Guerra dos Tronos", parcialmente rodada em 2021 em Monsanto (no concelho de Idanha-a-Nova, distrito de Castelo Branco), que estreia a 22 de agosto próximo, na plataforma de "streaming" HBO MAX.

"A indústria cinematográfica está habituada a esses incentivos e todos os nossos concorrentes e vizinhos têm incentivos fiscais, porque normalmente o investimento feito no país é quase o dobro desse incentivo fiscal", assim, "o país acaba sempre por beneficiar", sublinhou.

De acordo com o relatório mais recente sobre incentivos à produção cinematográfica e audiovisual e captação e filmagens internacionais, referente a 2018-2020, disponibilizado online, foi apoiada a produção de 48 obras, com um incentivo total de 15,3 milhões de euros, e o investimento global em Portugal foi de 58,7 milhões de euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+