Tempo
|
A+ / A-

Crise no SNS

Ministério da Saúde garante que encara reforço da autonomia dos hospitais como "prioritário"

18 jun, 2022 - 13:10

Gabinete de Marta Temido remete para o programa de Governo, quando confrontado com o pedido do presidente da Associação dos Administradores Hospitalares, em entrevista à Renascença.

A+ / A-

O Ministério da Saúde remete para o programa do Governo quando confrontado com o pedido de maior autonomia dos hospitais.

No programa Em Nome da Lei, da Renascença, o presidente da Associação dos Administradores Hospitalares, Xavier Barreto, criticou a ministra da Saúde por ter optado por um recrutamento centralizado, retirando qualquer margem de manobra aos hospitais públicos.

Em resposta enviada à Renascença, fonte do gabinete de Marta Temido diz que o Governo "assumiu como prioritário no seu programa para a saúde, o reforço da autonomia na gestão hospitalar, nomeadamente na contratação de profissionais de saúde, com maior responsabilização e avaliação da satisfação pelos utentes e profissionais".

"Os hospitais públicos portugueses são a maior e melhor resposta para o tratamento de problemas de saúde graves e de elevada complexidade. Num contexto de necessidades crescentes em saúde, é essencial continuar a investir na melhoria da eficiência da rede hospitalar", lê-se.

O Ministério de Saúde reforça a intenção de conferir "maior autonomia operacional dos hospitais", de forma a melhorar a governação clínica global do Serviço Nacional de Saúde e a integração dos cuidados.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+