Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

​Arranque em falso. Autarcas esperam melhorias na 2.ª fase da Carris Metropolitana

09 jun, 2022 - 22:30 • Redação

Depois de um início polémico nos concelhos de Alcochete, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal, a Carris Metropolitana, a nova marca única e integrada dos transportes urbanos da área metropolitana, chega às restantes áreas a partir de 1 de julho.

A+ / A-

Uma semana após o arranque da nova Carris Metropolitana, em cinco municípios da margem sul do Tejo, a Autoridade Metropolitana de Lisboa decidiu recuar e, durante os próximos 15 dias, estão operacionais apenas os percursos que já eram realizados.

Depois dos constrangimentos sentidos - os atrasos, a supressão de carreiras e a falta de informação de horários e de paragens - os autarcas do distrito de Setúbal acreditam ser possível manter o calendário previsto para o início da operação nas restantes três áreas metropolitanas. Mas será que a 1 de julho as falhas vão repetir-se nos restantes municípios?

À Renascença, o presidente da Câmara Municipal de Sesimbra (CMS) diz que os problemas sentidos na Área 4, e especificamente em Setúbal, já eram previsíveis.

“Sabíamos à partida, com toda a frontalidade, que poderíamos ter, não da dimensão daquilo que nos apercebemos, algumas necessidades de acerto”, afirma Francisco de Jesus.

Falta de informação aos passageiros é um problema

O autarca acrescenta ainda que, a manter-se o calendário, as falhas podem persistir, mas não as esconde: “há questões de disponibilização da informação ao público que não estão ainda hoje totalmente resolvidas”, diz o presidente da Câmara de Sesimbra.

A falta de informação disponível aos passageiros é um problema. Francisco de Jesus considera que vai permanecer, pelo menos, até que todos os municípios integrem o novo serviço da Carris Metropolitana.

O autarca espera que no início do próximo mês, quando a Carris Metropolitana começar a operar nas outras áreas, a situação já esteja melhor.

“A nossa expectativa é que, a 1 de julho, mesmo existindo alguns pequenos constrangimentos, estamos todos a trabalhar no sentido de conseguirmos o máximo de informação a tempo e horas disponibilizada ao público em geral.”

Francisco de Jesus garante ainda que os 18 municípios estão unidos para, “rapidamente, resolver e regular os problemas iniciais”.

Aprender com os erros iniciais

Também a presidente da Câmara de Almada, Inês de Medeiros, garante à Renascença estar preocupada e atenta à situação presente na Área 4.

Inês de Medeiros assinala a importância desta primeira fase de implementação da Carris Metropolitana, para aprender com “as dificuldades e para que corra o melhor possível no dia 1 de julho”.

A esperança dos autarcas é que os constrangimentos para os utentes dos transportes públicos não permaneçam no dia 1 de julho.

A presidente da Câmara de Almada adianta à Renascença que, para a próxima semana, vai haver “uma reunião com os TML [Transportes Metropolitanos de Lisboa], todos os presidentes das câmaras e com os operadores, para garantir que a operação está pronta o melhor possível no dia 1 de julho e que não se reproduza o que está a acontecer na Área 4”, salienta.

A falta de formação dos motoristas não será um problema em Almada como tem sido nos concelhos da Área 4, garante Inês de Medeiros. Operador do município é a TST, “que conhece bem o terreno, porque é uma empresa que opera naquela zona há muito tempo”, sublinha.

Embora saiba da existência de problemas ao nível do fornecimento de material, Inês de Medeiros demonstra confiança neste novo serviço da Carris Metropolitana.

“Estamos a falar de uma das maiores transformações em curso ao nível dos transportes públicos na Área Metropolitana de Lisboa”, o que justifica algumas das falhas presentes no processo de transição, conclui a presidente da Câmara de Almada.


Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+