Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Área Metropolitana do Porto "preocupada" com "péssimo serviço" dos CTT

29 abr, 2022 - 17:07 • Lusa

O Conselho Metropolitano do Porto questiona o Governo sobre o serviço prestado. "Há um problema gravíssimo com os serviços postais e a lei tem que valer para alguma coisa", diz o presidente da Câmara de Valongo.

A+ / A-

A Área Metropolitana do Porto (AMP) está "muito preocupada" com o que considerou ser o "péssimo serviço" dos CTT, pelo que decidiu escrever uma carta ao Ministério das Infraestruturas a "pedir explicações".

A decisão de questionar a tutela sobre o serviço dos Correios de Portugal foi tomada pelo Conselho Metropolitano do Porto depois de o presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, ter dado conta das "inúmeras queixas" sobre os CTT que a autarquia tem recebido.

"Há um problema gravíssimo com os serviços postais e a lei tem que valer para alguma coisa. Há atrasos inadmissíveis, como contas que chegam já depois dos prazos de pagamento, atrasos em cartas de hospitais, entre outros", disse.

Segundo o autarca, "se fosse uma empresa privada sem obrigação de serviço público, a lei do mercado resolvia, mas este não é o caso".

"Temos que exigir que esta questão seja acompanhada porque há uma parte brutal da população que depende do bom funcionamento destes serviços, nomeadamente no pagamento de pensões, subsídios ou baixas", salientou.

Outros autarcas presentes na reunião daquele órgão, que reúne 17 municípios, manifestaram igualmente preocupação com o "péssimo serviço" prestado pelos CTT, pelo que foi decidido pedir explicações.

"A Comissão Executiva vai escrever uma carta à tutela a pedir explicações", anunciou o presidente da AMP, Eduardo Vítor Rodrigues.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+