Tempo
|
A+ / A-

Educação

Mais de 10 mil professores terão abandonado a profissão na última década

19 abr, 2022 - 14:00 • Manuela Pires , Marta Grosso

Os números são da Fenprof, segundo a qual há professores com 20 anos de serviço ainda fora do quadro.

A+ / A-

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) acredita que mais de 10 mil professores abandonaram a profissão na última década. Os dados são avançados por Mário Nogueira nesta terça-feira.

“Nós prevemos que, neste momento, cerca de 10 a 12 mil professores tenham passado pela profissão e a tenham abandonado”, afirmou o líder da Fenprof aos jornalistas.

Alguns destes profissionais “não abandoaram de todo – estão, por exemplo, nas atividades de enriquecimento curricular, nas AEC, em situação de muita precariedade e com salários de facto muito baixos”, acrescenta.

Mário Nogueira defende a inversão destes números o mais depressa possível, pelo que entregou na Assembleia da República, nesta manhã, uma petição com cerca de 17.500 assinaturas pelo fim da precariedade e o respeito pelo horário de trabalho.

O documento será depois entregue também ao ministro da Educação, com quem Mário Nogueira vai reunir-se na próxima semana e em que o tema precariedade estará em cima da mesa.

“Hoje, a nossa lei já diz que – até porque teve de fazer isso por força de imposição comunitária – ao fim de três anos, os docentes entram nos quadros. O certo é que a lei permite que professores com 20 anos de precariedade não tenham ainda entrado nos quadros”, denuncia.

O secretário-geral da estrutura diz que “há sempre umas artimanhas, uma forma de fugir com requisitos que se vão impondo e que têm de ser cumulativos, que fogem àquilo que deveria ser o que determinava a entrada [no quadro], que era o tempo de serviço”.

Neste cenário, sublinha, “há professores com 20 anos de serviço – portanto, muito mais do que três anos de serviço – que ainda não conseguiram entrar no quadro”.

O programa de Governo prevê alterar o regime de recrutamento, a redução e mobilidade entre escolas e a vinculação direta, mas Mário Nogueira desconfia da proposta.

Nesta terça-feira, o PCP apresentou um projeto de lei para vincular automaticamente nos quadros os professores do ensino público pré-escolar, básico e secundário. O diploma obriga a alterações no regime geral de recrutamento e que prevê "uma vinculação gradual" em duas fases, a primeira das quais já neste ano.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    19 abr, 2022 Lisboa 20:53
    O que o comentador "Futuro ex-professor" aqui diz, é o sentir de quase toda a classe docente, depois de anos e anos de promessas não cumpridas, sucessão de frustrações, respeito ZERO, remunerações e condições de trabalho degradadas. Isto sem contar com alunos turbulentos e indisciplinados que não querem fazer nenhum, encarregados de educação com postura agressiva e totalmente anti-professor, "colegas" faca-na-liga, Diretores esclavagistas e tirânicos a quem 2 dedos de poder subiram à cabeça ... E tudo isto por uma carreira onde se demora cerca de 50 anos ou mais, para chegar ao topo e com Reconhecimento social NULO. Poucos ou nenhuns querem ser professores, e os que lá estão, contam os dias que faltam para a Reforma. Quem perde é o País.
  • Futuro ex-professor
    19 abr, 2022 País 17:57
    Faltam-me 5 anos para a reforma, mas se ma dessem sem penalizações - tenho 37 anos de descontos, pelas regras antigas já podia reformar-me - amanhã já não punha os pés na escola ... Os pais que os aturem, e o governo que ature os Diretores que lá metem.

Destaques V+