Tempo
|
A+ / A-

Morte de agente da PSP. Detidos três suspeitos em Lisboa

21 mar, 2022 - 22:28 • Redação com Lusa

Dois dos três indivíduos são fuzileiros e encontram-se detidos na prisão militar de Tomar. O outro suspeito, um civil, está no estabelecimento prisional anexo à PJ, em Lisboa. Vão ser presentes a primeiro interrogatório esta terça ou quarta-feira no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

A+ / A-

A Polícia Judiciária identificou e deteve três indivíduos suspeitos do homicídio de um agente da PSP na madrugada de sábado no exterior da discoteca MOME, na Avenida 24 de Julho, em Lisboa. Dois dos quais são fuzileiros e foram detidos na base do Alfeite.

Em comunicado, a PJ informa que “procedeu à identificação e detenção fora de flagrante delito de três homens, portugueses, com 24, 22 e 21 anos de idade, por existirem fortes indícios da prática de crimes de homicídio qualificado e ofensa à integridade física qualificada, que vitimaram cinco agentes da Polícia de Segurança Pública, um dos quais, infelizmente, acabou por falecer”.

Os dois militares da Marinha vão passar a noite na prisão militar de Tomar e deverão ser presentes ao juiz de instrução na terça ou na quarta-feira.

O outro suspeito detido, um civil, está detido no estabelecimento prisional anexo à PJ, em Lisboa.

A nota acrescenta que “foram realizadas buscas domiciliárias e não domiciliárias aos três arguidos, incidindo sobre as suas residências, viaturas e unidade militar” em “colaboração e cooperação operacional da Polícia de Segurança Pública”, sendo que não está excluída a identificação de outros eventuais envolvidos.

O agente da PSP Fábio Guerra, de 27 anos, morreu esta segunda-feira, no Hospital de São José, devido às “graves lesões cerebrais” sofridas na sequência das agressões de que foi vítima na madrugada do passado sábado, à porta de uma discoteca na Av. 24 de julho, em Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+