Tempo
|
A+ / A-

Capital Europeia da Cultura em 2027. Aveiro, Braga, Évora e Ponta Delgada estão na final

11 mar, 2022 - 19:06 • Rosário Silva

O painel voltará a reunir até ao final de 2022 para recomendar qual a cidade portuguesa que será Capital Europeia da Cultura 2027.

A+ / A-

As cidades de Aveiro, Braga, Évora e Ponta Delgada estão pré-selecionadas na competição para o título de Capital Europeia da Cultura 2027, em Portugal.

Depois de uma reunião que se prolongou por quatro dias, um painel de peritos independentes recomendou a pré-seleção, a partir de uma lista de 12 cidades portuguesas candidatas ao título. De fora ficaram as cidades de Coimbra, Faro, Funchal, Guarda, Leiria, Oeiras, Viana do Castelo e Vila Real.

As candidaturas foram avaliadas por um júri que integrou representantes do Parlamento Europeu, do Conselho Europeu, da Comissão Europeia, do Comité das Regiões e do Ministério da Cultura de Portugal.

O anúncio das cidades finalistas foi feito no decorrer de uma conferência de imprensa no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. No anúncio das quatro cidades finalistas, a presidente do júri, Beatriz Garcia, nomeada pela Comissão Europeia, afirmou que em todas as candidaturas apresentadas se verificou a existência de "uma dimensão poética e uma verdadeira celebração da língua portuguesa".

Na sessão, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, enalteceu o elevado número de cidades candidatas e sublinhou que a vencedora deverá "implementar uma visão estratégica para a Cultura, e que não se circunscreva a curto prazo".

Graça Fonseca apelou ainda, segundo a agência Lusa, a que o projeto cultural da cidade vencedora privilegie "o envolvimento de todos os cidadãos e em especial os grupos sociais sub-representados e em risco de exclusão".

As próximas e as futuras Capitais Europeias da Cultura

Estar pré-selecionada para o título de Capital Europeia da Cultura já é, para qualquer cidade, uma realização positiva e pode resultar em benefícios culturais, económicos e sociais significativos, desde que a proposta faça parte de uma estratégia de desenvolvimento a longo prazo orientada para a cultura.

Logo que as autoridades competentes portuguesas aprovarem formalmente a recomendação do painel, as cidades vão ter até ao outono deste ano, para completarem as suas candidaturas.

O painel voltará a reunir até ao final de 2022 para recomendar qual a cidade portuguesa que será Capital Europeia da Cultura 2027.

Em 2027, Portugal terá uma Capital Europeia da Cultura pela quarta vez, após Lisboa, em 1994, Porto, em 2001, e Guimarães, em 2012.

Haverá ainda em 2027, outra Capital Europeia da Cultura na Letónia. As autoridades letãs lançaram o seu concurso em gosto de 2020 e organizaram a sua pré-seleção em julho de 2021. Quatro cidades foram pré-selecionadas: Daugavpils, Jūrmala, Liepāja e Valmiera. A reunião para a seleção final na Letónia terá lugar esta primavera.

Em 2022, as Capitais Europeias da Cultura são Kaunas, na Lituânia, Esch-sur-Alzette, no Luxemburgo e Novi Sad, na Sérvia.

As próximas Capitais Europeias da Cultura serão:

Veszprém (Hungria), Elefsina (Grécia) e Timisoara (Roménia) em 2023

Tartu (Estónia), Bad Ischl (Áustria) e Bodø (Noruega) em 2024

Chemnitz (Alemanha) e Nova Gorica (Eslovénia) em 2025

Oulu (Finlândia) e Trencin (Eslováquia, na pendência de confirmação oficial) em 2026.

Criadas em 1985 a partir de uma ideia da então ministra grega da Cultura, Melina Mercouri, as Capitais Europeias da Cultura passaram a ser um dos projetos culturais mais ambiciosos na Europa e uma das atividades mais conhecidas da União Europeia.

Os seus objetivos baseiam-se na promoção da diversidade das culturas na Europa, no destaque das características comuns que partilham e no fomento do contributo da cultura para o desenvolvimento a longo prazo das cidades.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+