Tempo
|
A+ / A-

Boletim DGS

Covid-19. Portugal com mais 59.194 casos e 39 mortes

29 jan, 2022 - 14:02 • Redação

Há 1.2 milhões de pessoas em isolamento na véspera das eleições legislativas.

A+ / A-


Veja também:


Portugal registou 59.194 novas infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, mais 39 mortes associadas à Covid-19, segundo os números divulgados este sábado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Das 39 mortes, 17 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, oito no Norte, sete no Centro, três no Alentejo, três no Algarve e uma na Madeira.

O boletim revela ainda que do total de mortes hoje registadas 28 foram pessoas com mais de 80 anos, sete entre os 70 e os 79 anos, três entre os 60 e os 69 anos e uma entre os 40 e os 49 anos.

O boletim epidemiológico diário regista uma descida do número dos hospitalizados. No total há 2.292 internados, menos 28. Em UCI estão 153, mais uma face a sexta-feira.

Os casos ativos voltaram a aumentar nas últimas 24 horas, totalizando 591.969, mais 12.599.

Segundo os números atualizados, recuperaram da doença 46.556 pessoas, o que aumenta o total nacional para 1.954.755.

Casos ativos e contactos em vigilância continuam a ser mais de um milhão de pessoas (1.203.011).

A faixa etária que regista mais novos casos é a dos 40-49 (19,19%), depois a dos 30-39 (17,05%), seguida da dos 10-19 (16,82%).

Em termos de regiões, o Norte tem mais novos infetados (41%), depois a Zona de Lisboa (29%), seguida do Centro (17%), Algarve (4%) e Alentejo (3%).



A Covid-19 provocou mais de 5,63 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

A nova variante Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países, incluindo em Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+