A+ / A-

Menos internados, em dia com 48 mortes e mais de 57 mil casos de Covid-19

25 jan, 2022 - 15:35 • Ricardo Vieira e Marta Grosso

Na soma dos casos ativos e dos contactos de vigilância, Portugal tem mais de um milhão e 30 mil pessoas em isolamento, um novo recorde desde o início da pandemia.

A+ / A-

Veja também:


Portugal regista esta terça-feira mais 48 mortes e 57.657 novos casos de Covid-19, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O número de pessoas internadas nos hospitais portugueses desce, após dois dias com valores elevados de novas hospitalizações.

Há agora 2.320 internadas no conjunto de enfermarias e unidades de cuidados intensivos, menos 28 em relação ao dia anterior.

Em unidades de cuidados intensivos estão internadas 158 pessoas, uma descida de 14 pacientes mais graves.

Na soma dos casos ativos e dos contactos de vigilância, Portugal tem mais de um milhão e 30 mil pessoas em isolamento, um novo recorde desde o início da pandemia.

Os casos ativos são agora 512 mil, mais 2.943 em 24 horas, e há mais 18.895 contactos de vigilância, num total de 520 mil pessoas.

Desde a chegada da pandemia a Portugal, em março do ano passado, estão confirmadas 19.661 mortes, dois milhões 312 mil casos e um milhão 780 mil recuperados.

Numa análise por regiões, o Norte tem esta terça-feira mais 19 mortes e 25.504 novos casos e Lisboa e Vale do Tejo 17 óbitos e 16.740 infeções.

A região Centro contabiliza sete mortes e 9.543 casos, o Alentejo um óbito e 2.044 infeções e o Algarve quatro mortes e 1.501 casos.

O Rt nacional e no continente é de para 1,15, o que significa que cada infetado contamina mais do que uma pessoa, em média.

A taxa de incidência nacional é de 5322,6 casos por 100 mil habitantes e no continente de 5262,8 casos.

Evolução da Covid-19 em Portugal

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+