Tempo
|
A+ / A-

Rui Moreira absolvido no caso Selminho

21 jan, 2022 - 15:48 • Núria Melo, com redação

Autarca do Porto arriscava perda de mandato. Não foi condenado por falta de provas. Ministério Público vai recorrer da absolvição de Rui Moreira.

A+ / A-

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, foi esta sexta-feira absolvido no caso Selminho, em que era acusado de prevaricação e arriscava a perda de mandato na autarquia.

A leitura do acórdão do mediático processo (consulte em versão PDF) terminou no Tribunal de São João Novo, no Porto. O coletivo de juízes concluiu que não havia provas para condenar o autarca.

O Ministério Público não conseguiu provar que Rui Moreira tenha influenciado a resolução do acordo entre a Câmara Municipal do Porto e a Selminho, indica o tribunal.

Rui Moreira não prejudicou os interesses da câmara municipal do Porto para beneficiar os interesses da empresa Selminho, refere o acórdão.

Quanto ao alegado conflito de interesses o processo foi arquivado por manifesta falta de objetos e documentos que o provassem.

O Ministério Público, que pedia condenação por prevaricação e perde de mandato, vai recorrer da absolvição do presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.

O autarca respondeu por alegados crimes de prevaricação e abuso de poder. O Ministério Público defende que Rui Moreira terá favorecido a imobiliária Selminho, que pertence à sua família e da qual era sócio, à data, em detrimento do município.

Em declarações aos jornalistas no final da audiência, Rui Moreira disse estar "tranquilo" e que sabia um dia este "desfecho chegaria".

"O Ministério Público ainda não se conforma. Faremos uma declaração mais tarde", declarou.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • jo oli
    21 jan, 2022 White 17:15
    Mais uma juiza que pertence aos esquadrao dos corruptos,destruidores dos principios e de Portugal.envestiguem esta juiza incompetente e amiga da familia e do Ruizinho passarinho.
  • Manuel Oliveira
    21 jan, 2022 Porto 15:57
    Bom.

Destaques V+