Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Reforço da vacina será alargado a maiores de 18 anos

23 dez, 2021 - 09:22 • Marta Grosso com redação

O anúncio é feito na Renascença pelo secretário de Estado, segundo o qual a prioridade será para as pessoas com comorbilidades. Hoje, há casa aberta para maiores de 63 anos.

A+ / A-

Veja também:


A dose de reforço da vacina de Covid-19 irá ser alargada até aos 18 anos, anuncia o secretário de Estado Adjunto e da Saúde na Renascença.

“Durante a noite, saiu um parecer da CTVC [comissão técnica de vacinação contra a Covid-19], emitido pela Direção-Geral da Saúde em como a dose de reforço irá até aos 18 anos, obviamente, feito de acordo com prioridades”, afirmou, explicando que “essas prioridades englobam pessoas com mais de 18 anos com comorbilidades”.

O processo começará, “como temos feito, noutras faixas e noutras circunstâncias, por faixas de maior idade: 40 anos e depois por aí abaixo, por faixas decrescentes até aos 18 anos”, concluiu António Lacerda Sales.

Segundo o parecer da comissão técnica divulgado pela DGS, são ainda “incertos” os “dados e a evidência disponíveis relativamente à magnitude do benefício com a vacinação das pessoas com menos de 40 anos sem comorbilidades, especialmente por não ser possível antecipar o impacto da vacinação destas faixas etárias na evolução da situação epidemiológica com predominância da variante Ómicron”.

A CTVC admite que essa vacinação poderá ocorrer “num período de menor gravidade epidemiológica”, mas reforça que “numa estratégia de Saúde Pública”, ela poderá vir a ser defensável.

“Os estudos publicados até à data mostram consistentemente que a idade é o principal fator prognóstico na Covid-19, sobretudo acima dos 40-50 anos. Para idades inferiores, a presença de comorbilidades parece ser o preditor para a Covid-19 grave, hospitalização e morte”, refere o comunicado.

O “cenário de crescimento epidémico antecipado com o surgimento da variante Ómicron” está na origem do plano de reforço da vacina à população.

Maiores de 40 anos são maioria dos internados

Os doentes atualmente hospitalizados com Covid-19 têm 40 ou mais anos, refere a CTVC.

“É expectável que a administração de uma dose de reforço às pessoas com 40 ou mais anos de idade, priorizando os mais velhos, as pessoas com comorbilidades e os profissionais de saúde, diminua a previsível pressão sobre os serviços de saúde associada à antecipada propagação da variante Ómicron”, lê-se no comunicado.

O grupo técnico estima que a vacinação destes grupos etários possa reduzir, em “mais de 90%” o número de pessoas hospitalizadas por Covid-19”.

“A vacinação das pessoas com 40 ou mais anos de idade permite abranger a maioria (cerca de 94%) das pessoas atualmente hospitalizadas por Covid-19”, diz ainda a comissão técnica.

Casa aberta para maiores de 63 anos

Nesta quinta-feira, há casa aberta para a vacinação de reforço para quem tem

63 ou mais anos “e para pessoas que levaram a vacina da Janssen” e que tenham 40 anos ou mais”, afirmou o secretário de Estado na Renascença.

Além disso, já abriu o autoagendamento para quem tem 55 anos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+