Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Covid-19. Dezembro bate recordes de testagem

19 dez, 2021 - 10:29 • Marta Grosso

Entre os dias 1 e 17, foram realizados mais de 2,6 milhões de testes. Sexta-feira foi o dia com mais testagem. Os testes à Covid-19 podem ser feitos de forma gratuita em farmácias e laboratórios aderentes.

A+ / A-

Dezembro é o mês em que se realizaram mais testes à Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia. Os números são do Instituto Ricardo Jorge e representam apenas os testes realizados em farmácia e laboratórios, não incluindo os autotestes.

Segundo o comunicado enviado este domingo às redações, entre os dias 1 e 17, foram realizados 2.264.893 testes de diagnóstico, dos quais cerca de 760 mil são TAAN/PCR e mais de 1,5 milhões testes rápidos de antigénio de uso profissional (TRAg).

O recorde foi batido na sexta-feira, dia 17, em que foram efetuados mais de 227 mil testes.

O anterior máximo de testagem mensal tinha sido estabelecido em julho, com 2.031.649 testes efetuados – valor agora ultrapassado em apenas 17 dias.

Desde o início do mês, Portugal registou números de testagem diária superiores a 100 mil testes em 13 dos 17 dias já contabilizados.

Os números alcançados estão associados às medidas da resolução do Conselho de Ministros de 27 de novembro, nas quais se inclui a necessidade de apresentação de teste negativo para o SARS-CoV-2 no acesso a determinados serviços ou locais, bem como o aumento de pontos de testagem em todo o país.

“Traduzem também uma grande sensibilização dos portugueses a esta medida de prevenção”, refere a nota do INSA.

Desde o dia 19 de novembro que os testes rápidos de antigénio realizados nos laboratórios e farmácias aderentes ao regime excecional de comparticipação voltaram a ser gratuitos.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+