Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Covid-19

Há escolas a perguntar aos pais se filhos estão vacinados

17 dez, 2021 - 08:06 • Fátima Casanova , Olímpia Mairos

Situação é criticada pela Confederação Independente de Pais e Educadores e o Ministério da Educação lembra que os estabelecimentos de ensino não podem recolher dados de saúde dos alunos.

A+ / A-

Veja também:


Algumas escolas estão a perguntar aos encarregados de educação, através de email, se os seus filhos já foram vacinados contra a Covid-19. A ministra da Saúde, Marta Temido, e a Direção-Geral da Saúde (DGS) garantem que não deram qualquer indicação sobre recolha de dados.

A Renascença sabe que, com o pretexto de estarem a atualizar os dados para o delegado de saúde dar uma resposta mais eficaz em caso de surto, há diretores de turma que estão a enviar e-mails aos pais.

Em nome da escola e da Direção-Geral da Saúde (DGS) perguntam se o educando tem o esquema vacinal completo e quando foi administrada a segunda dose.

Uma situação criticada pelo presidente da Confederação Independente de Pais e Educadores. Rui Martins diz que os pais devem pedir explicações.

“O apelo que aqui se faz é aos pais para perguntarem exatamente a quem mandou esse e-mail, por que razão estão a pôr essa questão, nesta altura, portanto, para sermos todos esclarecidos. Não esteja aqui subentendida alguma pressão para vacinação ou não”, declara.

Em declarações à Renascença, o presidente da Associação de Diretores de Escolas Públicas, Filinto Lima, garante que o pedido não foi feito pelo Ministério da Educação.

“O Ministério da Educação não enviou às escolas qualquer indicação nesse sentido. A situação, a concretizar-se, poderá violar a proteção de dados. Parece-nos ser uma situação anormal e deve ser evitada”, adverte Filinto Lima.

Contactado pela Renascença, o Ministério da Educação admite que as autoridades de saúde fizeram esse pedido às escolas para saber se as crianças até aos 12 anos estavam vacinadas contra a Covid-19.

Fonte do gabinete do ministro Tiago Brandão Rodrigues diz, no entanto, que os estabelecimentos de ensino não podem recolher dados de saúde dos alunos e garante que esse mesmo esclarecimento já foi dado às escolas.

“As escolas devem cumprir as regras estabelecidas pelo RGPD, pelo que não poderão recolher dados, cujas autoridades de saúde são as únicas entidades que os devem deter. Apesar do pedido que as escolas foram alvo, esta mesma clarificação já foi dada pela DGESTE aos estabelecimentos de ensino que colocaram dúvidas”, lê-se na resposta enviada à Renascença.

Contactada pela Renascença, Direção-Geral da Saúde (DGS) esclarece que “não deu qualquer instrução para recolher informação sobre a vacinação dos alunos”.

[notícia atualizada às 14h37]

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    18 dez, 2021 évora 18:02
    Tempos virão que perguntam se são gays e lésbicas ... esta pandemia trouxe a Ditadura Fascista do Socialismo Nacional Fascista .

Destaques V+