Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Natal e Ano Novo. Governo diz que hospitais estão preparados "para o pior"

18 nov, 2021 - 19:27 • Lusa

António Lacerda Sales destacou também a importância da testagem massiva, assegurando que “as farmácias estão preparadas para dar resposta aos pedidos de testes”.

A+ / A-

Veja também:


O secretário de Estado Adjunto e da Saúde afirmou, esta quinta-feira, que o Governo está preparado para dar resposta a todos os cenários que se coloquem nos hospitais durante o período de Natal e de Ano Novo.

“A grande maioria dos hospitais já enviou as escalas de Natal e de Ano Novo para o Ministério [da Saúde] e os seus planos de contingência. Temos planeamento e estamos preparados para o que puder vir aí. Esperemos que seja o melhor, mas temos que nos preparar para o pior”, afirmou António Lacerda Sales.

O governante, que falava aos jornalistas no final de uma sessão sobre o Dia Europeu do antibiótico, realizada esta quinta-feira à tarde na Fundação Calouste Gulbenkian, escusou-se a adiantar medidas que venham a ser decididas pelo Governo para travar a propagação de Covid-19, sublinhando a reunião de sexta-feira com os especialistas que vai decorrer na sexta-feira no Infarmed.

“Não vamos antecipar qualquer tipo de decisão. No entendimento do Governo, o que é importante neste momento é ter a perceção e passar a mensagem que é muito importante reforçar as medidas que já hoje temos e que todos conhecemos, uso de máscara, distância social, higienização das mãos”, apontou.

António Lacerda Sales destacou também a importância da testagem massiva, assegurando que “as farmácias estão preparadas para dar resposta aos pedidos de testes”.

“Vai ser possível dar resposta. Temos muitos testes e não haverá dificuldades”, sublinhou.

A Covid-19 provocou pelo menos 5.122.682 mortes em todo o mundo, entre mais de 254,95 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.295 pessoas e foram contabilizados 1.115.080 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+