Tempo
|
A+ / A-

Reunião Infarmed

Covid-19: Especialista recomenda certificado obrigatório em fronteiras e lares

16 set, 2021 - 17:35 • Hélio Carvalho

Raquel Duarte pede também que se vacinem os migrantes que permaneçam em Portugal durante um período longo.

A+ / A-

Veja também:


A médica pneumologista e especialista da Administração Regional de Saúde do Norte, Raquel Duarte, recomendou esta quinta-feira que nos próximos meses o certificado digital continue a ser obrigatório em "circunstâncias de maior risco que justifiquem o acréscimo de multicamadas protetores", nomeadamente as unidades residenciais para idosos e no controlo de fronteiras.

Como tal, é também pedido que o acesso ao certificado seja "fácil, universal e gratuito".

Sobre o controlo de fronteiras, Raquel Duarte recomenda que se tomem “iniciativas de rastreio aos viajantes e populações móveis sazonais nas fronteiras” e vinca que se vacinem os migrantes que permaneçam em Portugal durante um período longo.

Na sua intervenção, a especialista do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto e Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar apresentou um plano que passa por uma "fase transitória, em que passamos da obrigatoriedade das medidas para responsabilização individual e organizacional".

"Esta transição deve ser faseada, apoiada na monitorização dos indicadores e em comunicação permanente”, e está preparado "um novo agravamento das medidas e dos indicadores".

Como tal, Raquel Duarte recomenda que se continue a apostar na vacinação e se antecipe “a eventual necessidade de um reforço massivo da vacinação”, através de um plano amplo e que não dependa apenas dos cuidados de saúde primários. Além disso, é fundamental continuar a testar e a rastrear casos, especialmente nas populações de maior risco, para implementar rapidamente medidas de saúde pública, assim como as variantes.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+