Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Surto em lar de Marvão regista a segunda vítima mortal

02 set, 2021 - 17:22 • Lusa

31 utentes que ficaram infetados e que permanecem na instituição deverão ter alta médica esta quinta-feira, desconhecendo-se ainda o número de altas a atribuir aos 11 funcionários que também contraíram a doença.

A+ / A-

Veja também:


O número de vítimas mortais do surto de Covid-19 num lar no concelho de Marvão, em Portalegre, subiu de um para dois, com a morte de uma utente octogenária, disse a presidente da instituição, esta quinta-feira.

"Até ao momento faleceram dois utentes. Na madrugada desta quarta-feira foi uma senhora de 83 anos e já antes tinha sido um utente de 91 anos", lamentou à agência Lusa a presidente da associação do Lar da Casa do Povo de Santo António das Areias, Cristina Novo.

De acordo com a responsável, os 31 utentes que ficaram infetados e que permanecem na instituição deverão ter hoje alta médica, desconhecendo-se ainda o número de altas a atribuir aos 11 funcionários que também contraíram a doença.

"Hoje fizemos testes e estão negativos. Em princípio, também vão ter alta em algumas funcionárias", disse.

Cristina Novo indicou ainda que permanecem internados no hospital de Portalegre outros quatro utentes que ficaram infetados com o coronavírus.

Considerando que o surto se encontra na "fase final", Cristina Novo lamentou as duas mortes, sublinhando que os dois utentes "já tinham a sua saúde muito debilitada" e que esta doença "antecipou" a sua morte.

O surto no Lar da Casa do Povo de Santo António das Areias foi detetado no dia 21 agosto, depois de uma utente ter-se deslocado ao hospital de Portalegre e ter tido resultado positivo no teste efetuado na unidade hospitalar.

O surto infetou todos os utentes que se encontravam no lar (37) e ainda 11 dos 27 funcionários.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+