Tempo
|
A+ / A-

Afeganistão

Refugiados afegãos em Portugal. "Missão plenamente sucedida" declara Marcelo Rebelo de Sousa

27 ago, 2021 - 21:24 • Redação

Avião que transporta cidadãos do Afeganistão já aterrou no Aeroporto Figo Maduro. Marcelo Rebelo de Sousa no local para receber refugiados.

A+ / A-

Acabou de aterrar, em Lisboa, um avião com refugiados afegãos.

São quatro militares portugueses e 24 cidadãos do Afeganistão que chegaram, nesta noite de sexta-feira, a Portugal. O Presidente da República e o ministro da Defesa Nacional receberam os refugiados, no aeroporto.

Pelo menos oito crianças - incluindo um bebé de colo - e várias mulheres já saíram do avião, tendo sido transportadas num autocarro, avança o Observador.

O Major da Infantaria do Exército Português Marco Silva explicou que a missão consistiu em "retirar cidadãos afegãos que tinham ligação próxima ao trabalho das forças armadas portuguesas".

"Esse trabalho foi feito com a maior entrega, dedicação e profissionalismo que seria possível. Julgo que falo por todos que acabam de chegar. Fizemos tudo o que estava ao nosso alcance", disse, em conferência de imprensa, no aeroporto Figo Maduro.

"Esta missão que chega hoje a seu termo foi plenamente sucedida" classificou o chefe de Estado português.

O Presidente da República recordou todos os militares portugueses que passaram pelo Afeganistão, nos últimos 20 anos e os afegãos "que trabalharam em conjunto com os portugueses".

"Sublinho o papel das chefias militares mas também e, em especial, o papel do Governo. O ministro da Defesa, nestes dias tão difíceis, esteve permanentemente, em conjunto com os nossos aliados, a salvaguardar a saída dos nossos compatriotas e a preparação da saída daqueles que tinham estado connosoco em tempos muito difíceis para aquele povo", apontou Marcelo Rebelo de Sousa.

"A missão destes militares consistiu em pagar uma dívida de gratidão", apontou ainda.

O ministro da Defesa Nacional também reforçou a importância de saldar as "dívidas de gratidão" aos refugiados afegãos que chegaram esta sexta-feira a Portugal.

"Trouxemos para Portugal os afegãos que tinham trabalhado connosco e as suas famílias. Agora, temos de criar as condições para que esses afegãos tenham uma nova vida", afirmou João Gomes Cravinho.

Do aerodrómo militar de Lisboa, os refugiados seguem agora para um alojamento provisório na capital

Este fim de semana, está prevista a chegada de mais de 50 refugiados afegãos, a Portugal.

afeganistão, refugiados afegãos chegam a Portugal Foto: Mário Cruz/Lusa
afeganistão, refugiados afegãos chegam a Portugal Foto: Mário Cruz/Lusa
afeganistão, refugiados afegãos chegam a Portugal Foto: Mário Cruz/Lusa
afeganistão, refugiados afegãos chegam a Portugal Foto: Mário Cruz/Lusa
afeganistão, refugiados afegãos chegam a Portugal Foto: Mário Cruz/Lusa
afeganistão, refugiados afegãos chegam a Portugal Foto: Mário Cruz/Lusa
Presidente da República e Ministro da Defesa Nacional recebem militares portuguses e refugiados afegãos Foto: Mário Cruz/Lusa
Presidente da República e Ministro da Defesa Nacional recebem militares portuguses e refugiados afegãos Foto: Mário Cruz/Lusa
Presidente da República e Ministro da Defesa Nacional recebem militares portuguses e refugiados afegãos Foto: Mário Cruz/Lusa
Presidente da República e Ministro da Defesa Nacional recebem militares portuguses e refugiados afegãos Foto: Mário Cruz/Lusa
Presidente da República e Ministro da Defesa Nacional recebem militares portuguses e refugiados afegãos Foto: Mário Cruz/Lusa
Presidente da República e Ministro da Defesa Nacional recebem militares portuguses e refugiados afegãos Foto: Mário Cruz/Lusa
Presidente da República e Ministro da Defesa Nacional recebem militares portuguses e refugiados afegãos Foto: Mário Cruz/Lusa
Presidente da República e Ministro da Defesa Nacional recebem militares portuguses e refugiados afegãos Foto: Mário Cruz/Lusa

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+