Tempo
|
A+ / A-

Militares portugueses ajudam 56 afegãos a deixar Cabul

26 ago, 2021 - 22:54 • Redação com Lusa

A sua missão foi “colocar nos aviões os afegãos identificados e validados” para viajarem para Portugal.

A+ / A-

O trabalho dos quatro militares portugueses no aeroporto de Cabul no apoio à retirada de cidadãos afegãos está quase concluído e estes vão sair de Cabul dentro de poucas horas, avançou o ministro da Defesa.

Em declarações à SIC, João Gomes Cravinho revelou que os militares, integrados no contingente espanhol, “estão empenhados em colocar nos aviões os 38 afegãos identificados e validados” para viajarem para Portugal e que a sua missão “está quase concluída” e sairão de Cabul “dentro de algumas horas”.

“Eles têm feito um trabalho absolutamente notável, em circunstâncias muito difíceis, de trazer para dentro do aeroporto [de Cabul] e colocar em aviões pessoas que trabalharam com as forças nacionais destacadas portuguesas, ou seja, tradutores, interpretes e os seus familiares”, precisou.

Numa primeira fase, Portugal vai acolher 56 afegãos, dos quais 18 já estão fora de Cabul e os outros 38 a embarcar nas próximas horas, explicou o ministro.

Esta sexta-feira poderão começar a chegar os primeiros refugiados afegãos a Portugal, e pode inclusive chegar “mais do que um grupo”, apesar da “grande incerteza ainda com os voos e os percursos”. O local de acolhimento será na região de Lisboa, mas a médio e longo prazo “vai requerer um trabalho intenso com as famílias de apoio na integração”.

João Gomes Cravinho revelou ainda que os ministros europeus da Administração Interna vão reunir-se dia 31 de agosto para elaborar o plano coletivo de acolhimento no espaço europeu.

Entretanto, o Presidente dos Estados Unidos prometeu "caçar" os autores do duplo atentado bombista e do ataque armado junto ao aeroporto de Cabul, Afeganistão, atribuído ao grupo extremista Estado Islâmico (EI).

"Não esqueceremos, não perdoaremos e vamos caçar-vos e fazer-vos pagar", disse Joe Biden, depois de um momento emocionado em que relembrou a morte do filho, ele próprio um antigo combatente militar.

Segundo a última atualização da CNN, as explosões em Cabul mataram 13 soldados norte-americanos e 90 afegãos. Há ainda 150 feridos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+