Tempo
|
A+ / A-

Prisão preventiva para homem que atropelou três pessoas em Reguengos

22 jul, 2021 - 17:24 • Lusa

A medida de coação mais gravosa foi aplicada pelo juiz de Instrução Criminal de Évora.

A+ / A-

O Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Évora determinou hoje a prisão preventiva para o condutor do automóvel que atropelou três pessoas em Reguengos de Monsaraz, na sexta-feira, na sequência de desacatos, revelou o advogado.

A medida de coação mais gravosa foi aplicada pelo juiz de Instrução Criminal de Évora, após primeiro interrogatório judicial, indicou à agência Lusa o advogado Fábio Palhas.

Segundo o causídico, após o interrogatório, que decorreu esta tarde no TIC de Évora, o seu cliente foi encaminhado para o Estabelecimento Prisional de Beja.

O homem foi presente a primeiro interrogatório judicial depois de se ter entregado voluntariamente à Polícia Judiciária (PJ) na quarta-feira.

Os desacatos, ocorridos na sexta-feira à noite junto da esplanada de um bar da cidade, provocaram três feridos, atropelados pelo condutor de um automóvel que, posteriormente, abandonou a viatura, segundo fontes da GNR e dos bombeiros.

Num comunicado divulgado no sábado, a GNR explicou que uma patrulha foi chamada na noite de sexta-feira, depois das 22:30, a um estabelecimento de venda de bebidas ao público onde “um grupo de indivíduos” tentava entrar, tendo-lhes sido vedado o acesso “porque não se faziam acompanhar do respetivo certificado digital” covid-19.

A GNR esclareceu então que será instaurado um processo de averiguações para apuramento de eventual responsabilidade disciplinar relativamente à atuação dos militares da guarda.

Um vídeo que mostra os desacatos está a circular nas redes sociais.

Um outro homem envolvido nos desacatos também se apresentou voluntariamente na PJ de Évora, na quarta-feira, tendo ficado sujeito à medida de coação de termo de identidade e residência (TIR).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+