A+ / A-

PSP

Por um subsídio de risco "digno e justo", 50 polícias realizaram vigília em Lisboa

12 jul, 2021 - 20:39 • Lusa

Iniciativa vai realizar-se diariamente, entre as 16h30 e as 18h30, junto Cometlis até ao dia 20 de julho e, partir de terça-feira, vai acontecer uma iniciativa idêntica e à mesma hora em frente ao Comando Metropolitano do Porto (Cometpor) da Polícia de Segurança Pública.

A+ / A-

Cerca de 50 polícias realizaram esta segunda-feira uma vigília junto ao Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP, em Moscavide, contra a proposta apresentada pelo Governo para o subsídio de risco.

A vigília vai realizar-se diariamente, entre as 16h30 e as 18h30, junto Cometlis até ao dia 20 de julho e, partir de terça-feira, vai acontecer uma iniciativa idêntica e à mesma hora em frente ao Comando Metropolitano do Porto (Cometpor) da Polícia de Segurança Pública.

O presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), Paulo Santos, disse à agência Lusa, que a vigília começou na semana passada em Braga, onde um grupo de polícias decidiu protestar para exigir “um subsídio de risco digno e justo”, tendo depois se juntado elementos da PSP de outros comandos.

Paulo Santos esclareceu que a vigília é “independente dos sindicatos” e surgiu de um grupo de polícias, tendo a ASPP apoiado o protesto e marcado presença com dirigentes sindicais.

O presidente da ASPP disse que outros comandos do país também vão aderir às vigílias, que vão acontecer até dia 20 de julho, véspera da reunião com o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, Antero Luís, para apresentação de uma contraproposta dos sindicatos sobre o subsídio de risco.

Paulo Santos afirmou ainda que a ASPP vai estar em todas as ações de luta para contestar a proposta do Governo, participando também, na próxima quinta-feira, na concentração junto ao local da reunião do Conselho de Ministros, protesto marcado pela plataforma constituída por 13 sindicatos da PSP e associações socioprofissionais da GNR, da qual a ASPP não faz parte.

O Ministério da Administração Interna apresentou às estruturas da PSP e da GNR um novo suplemento por serviço de risco nas forças de segurança, que substituirá o atual suplemento por serviço nas forças de segurança, e contempla a majoração do valor consoante as funções desempenhadas pelos polícias.

De acordo com o MAI, a proposta para a componente fixa do suplemento por serviço nas forças de Segurança (atualmente de 31 euros) prevê 100 euros por mês para os elementos em funções de ronda e patrulha, 90 euros para quem têm funções de comando e 80 euros para os restantes operacionais da PSP e GNR, significando, na prática, um aumento de 68, 59 e 48 respetivamente.

Além da concentração junto ao local do Conselho de Ministros, a plataforma constituída por 13 sindicatos da PSP e associações socioprofissionais da GNR tem também marcada para o fim da tarde de quinta-feira uma outra ação de protesto junto ao MAI para exigir um subsídio de risco no valor de 430,39 euros.

A Associação dos Profissionais da Guarda, que também não faz parte da plataforma, e a ASPP já anunciaram a realização de uma manifestação em frente ao MAI no dia 21 de julho e avançaram que vão apresentar ao Governo uma contraproposta que prevê o pagamento faseado do subsídio de risco até 2024,

Entretanto, o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna já garantiu a disponibilidade do Governo para atribuir aos polícias um subsídio de risco com valor de "alguma dignidade”, mas num quadro “realista”.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+