Tempo
|
A+ / A-

Pedro Santos Guerreiro

Adiar julgamento de Ricardo Salgado é "mau sinal e más consequências"

07 jun, 2021 - 21:04

Coletivo de juízes agendou audiências para estas segunda e terça-feira no julgamento sobre três crimes de abuso de confiança, no âmbito da Operação Marquês, mas as diligências foram adiadas uma semana. Para Pedro Santos Guerreiro, este adiamento "acaba por ser uma caricatura" do que isto significa. O principal processo, envolvendo Salgado, "é o do GES, que é muito mais complexo e nunca mais chega a julgamento. Mas basta lembrar que Salgado foi arguido no caso das rendas de energia, foi constituído arguido no processo Monte Branco que começou a ser julgado há nove anos". Pedro Santos Guerreido Este adiamento de hoje acaba por ser só para sublinhar os atrasos sucessivos em processos à volta de um homem que está prestes a fazer 77 anos e que ainda não chegou a julgamento em nenhum destes casos e está muito longe do trânsito em julgado.

A+ / A-
Comentário de Pedro Santos Guerreiro - 7 de junho
Comentário de Pedro Santos Guerreiro - 7 de junho

No habitual espaço de comentário das 19h20, no Turno da Tarde, Pedro Santos Guerreiro lembrou, esta segunda-feira, que o principal processo, envolvendo Salgado, "é o do GES, que é muito mais complexo e nunca mais chega a julgamento".

Contudo, diz o comentador, "basta lembrar que Salgado foi arguido no caso das rendas de energia, foi constituído arguido no processo Monte Branco que começou a ser julgado há nove anos".

Santos Guerreiro conclui, assim, que "este adiamento de hoje acaba por ser só para sublinhar os atrasos sucessivos em processos à volta de um homem que está prestes a fazer 77 anos e que ainda não chegou a julgamento em nenhum destes casos e está muito longe do trânsito em julgado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    08 jun, 2021 Madeira 12:12
    o Dr Guerreiro já sabe, tal como eu, como isto vai acabar. É assim, o velhinho não pode ir a tribunal por causa do Covid-19, embora já esteja vacinado, sendo insolvente declarado e idoso, logo nunca irá preso. Pode morrer na cadeia, sem os seus, o que é deprimente. Então a nossa justiça como boa samaritana irá dizer que tudo foi um equívoco.

Destaques V+