Tempo
|
Autárquicas 2021
36,43%
136Câmaras
14,58%
68Câmaras
11,46%
27Câmaras
7,72%
18Câmaras
5,8%
18Câmaras
3,98%
0Câmaras
2,42%
0Câmaras
1,65%
5Câmaras
0,98%
0Câmaras
10,83%
9Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3004 de 3092
  • Abstenção: 45,23%
  • Votos Nulos: 1,62%
  • Votos em Branco: 2,53%

A+ / A-

Covid-19: Governo nega "escancarar de Portugal aos ingleses"

23 jun, 2021 - 12:40 • Celso Paiva Sol , com redação

Depois das críticas da chanceler alemã, Ângela Merkel, o ministro Augusto Santos Silva afirma não perceber os reparos que se têm ouvido sobre a gestão de entradas em território nacional.

A+ / A-

Veja também:


O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, não vê qualquer "escancarar" de fronteiras aos ingleses, sem respeito pelas regras de prevenção da Covid-19.

Augusto Santos Silva diz que Portugal está a fazer exatamente aquilo que toda a Europa se prepara para fazer através do Certificado Verde Digital.

Sem ser um comentário direto às palavras da chanceler alemã, Ângela Merkel, o ministro disse esta quarta-feira no Parlamento que não percebe as críticas que se têm ouvido sobre a gestão de entradas em território nacional.

“O que nós fizemos em relação aos viajantes ingleses é aquilo que, a partir de 1 de julho, será obrigatório no âmbito da União Europeia. O que nós dissemos foi que os viajantes britânicos que vinham e vêm para Portugal, apresentando um teste negativo à chegada realizado nas últimas 72 horas, podem entrar em Portugal”, disse Augusto Santos Silva.

“Não vejo que isso seja alguma maneira de escancarar Portugal aos ingleses sem o cuidado de verificar as suas condições de saúde relativamente à Covid-19”, frisou o chefe da diplomacia portuguesa.


Augusto Santos Silva está no Parlamento a responder a diversas questões sobre a política externa, em especial sobre a agenda do Conselho Europeu que começa amanhã e que será o último da Presidência Portuguesa da União Europeia.

A chanceler alemã, Angela Merkel, criticou Portugal por permitir a entrada de turistas britânicos, numa altura em que a variante Delta da Covid-19, altamente infecciosa, já circulava ativamente no Reino Unido.

Merkel mostrou-se esta terça-feira preocupada em relação às regras definidas pela União Europeia em relação a viagens, que, segundo a chanceler alemã, não estão a resultar, à medida que os países adotam abordagens variadas para o surgimento da nova variante da Covid no Reino Unido.

O presidente do PSD, Rui Rio, acusou o Governo de estar a fazer Portugal passar "por uma vergonha desnecessária", considerando que depois da "vexatória desconsideração" do Reino Unido, os portugueses têm que "ouvir a justa indignação da chanceler alemã".

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Luis Cardoso
    23 jun, 2021 Gaia 15:26
    Gostaria também de ver aqui publicada a resposta da Ana Catarina Mendes ao sr. Rui Rio.
  • Cidadao
    23 jun, 2021 Lisboa 15:22
    Ai não, que não percebe! tem é de fazer de "virgem ofendida"... Julgavam que captavam a "boa vontade" Inglesa para vir para cá salvar o Verão Turístico, mas as coisas rebentaram-lhes na cara, pois mal veio o bom tempo e um cheirinho de desconfinamento, bares, esplanadas, Bairros altos, festarolas, apareceram de todo o lado e lixaram tudo.

Destaques V+