Tempo
|
A+ / A-

SEF. Sindicato promete manter luta para garantir um serviço independente

04 jun, 2021 - 12:33 • Olímpia Mairos

A+ / A-

O presidente do Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SCIF-SEF), Acácio Pereira, esteve reunido esta sexta-feira com o ministro da Administração Interna.

À saída da reunião, o responsável acusou Eduardo Cabrita de ter apresentado “um documento com três pontos, três alíneas, sem o mínimo enquadramento legal, sem nenhum diploma complementar, um diploma vago”.

“Naturalmente que nós não aceitamos isto como negociação, não aceitamos isto como uma alteração à estrutura do SEF e o que nós dizemos muito claramente é que somos frontalmente contra qualquer alteração que passe pela extinção do SEF”, afirmou Acácio Pereira.

O presidente do SCIF-SEF refere ainda que Eduardo Cabrita “insiste em soluções” que não percebem, considerando que “são soluções que não são claras”.

“Isto não é negociação, isto não diz nada, absolutamente nada. Nós vamos analisar ponderadamente o que vamos fazer, mas naturalmente vamos reagir a esta situação e vamos reagir adequadamente”, adiantou.

O presidente do SCIF-SEF deixa assim aberta a porta a futuras greves.

“O senhor ministro não contará com o nosso apoio. Nós lutaremos até onde nos for possível e temos a vontade de ir muito longe para garantir um serviço independente, um serviço de estrangeiros e fronteiras que continue a garantir a segurança dos portugueses e a segurança dos cidadãos da União Europeia”.

O Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF foi o primeiro a reunir-se com o ministro da Administração Interna, depois das 10h00. O Sindicato dos Inspetores de Investigação Fiscalização e Fronteiras tinha uma reunião agendada para as 11h00 com o mesmo governante.

Foi esta última força sindical que marcou um ciclo de greves para o mês de junho. O Governo decretou requisição civil, mas o Supremo Tribunal Administrativo veio considerar que se tratava de uma ação ilegal, após providência cautelar apresentada pela estrutura.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • J. Ferreira
    04 jun, 2021 Lisboa 22:54
    A Polícia Judiciária que vá pondo as barbas de molho, que os glutões querem tudo...

Destaques V+